Seguradora Sombrero reúne executivos e acionistas de peso e inicia operações em todo o Brasil

"Nossos executivos, membros do Conselho e acionistas passaram por grandes empresas de seguros, resseguros e do mercado financeiro", conta o CEO, Leonardo Paixão

Leonardo paixao Sombrero

Chega ao mercado mais uma seguradora para disputar o segmento de seguros de danos, inicialmente com foco em seguro rural e seguros financeiros. Trata-se da Sombrero Seguros, fruto da união de investidores escolhidos não só para aportar recursos, mas para agregar nas decisões estratégicas. “Com modéstia, posso dizer que montamos uma equipe extremamente qualificada, com executivos de diversas áreas e que são sócios. Além disso, a seguradora nasce na era digital, sem legados, com tecnologia de ponta e atuando em todo o Brasil”, informa o CEO Leonardo Paixão ao blog Sonho Seguro.

O executivo, que foi presidente do IRB Brasil Re por cinco anos, membro do conselho da BMG Seguros e criou a subsidiária brasileira da seguradora americana Markel no Brasil, conta que a Sombrero foi constituída a partir da reunião de dezenas de investidores, a maioria dos quais oriundos do setor financeiro. “Reunimos gente especialista em seguros, em tecnologia, no mercado financeiro e no agronegócio, o que nos dá uma vantagem muito grande por estarmos plugados no que há de mais inovador em todos os  setores da companhia”, diz. 

Muitos dos acionistas participam das decisões estratégicas da seguradora, atuando no Conselho de Administração da Enova Holding, a empresa que é proprietária de 100% das ações da Sombrero. O Conselho é presidido pelo ex-vice-presidente da Caixa, Flávio Arakaki. Entre os membros, há nomes conhecidos do mercado de seguros, como o ex-presidente da Federação Nacional de Previdência e Vida (Fenaprevi), Osvaldo do Nascimento, o ex-ministro de Estado, Joaquim Lima, o ex-presidente da Terra Brasis, Paulo Botti, o ex-vice-presidente do IRB Manoel Morais e o ex-diretor de tecnologia da B3, Keiji Sakai, entre outros. Como conselheiros oriundos do agronegócio , a Sombrero tem o Diretor Executivo da União da Indústria da Cana de Açúcar (Única), Eduardo Leão, e o ex-presidente da Aprosoja Brasil, Marcos da Rosa, que é conselheiro independente.

Os principais executivos da seguradora são também investidores que, antes da Sombrero, passaram por grandes empresas de seguros e resseguros. “Na Sombrero, o sentimento de dono não é uma aspiração ou mera frase motivacional; é a realidade da companhia, pois todos os principais executivos investiram seu próprio capital na constituição da seguradora. Quem interage com a Sombrero quase sempre trata diretamente com um dos donos da seguradora”, afirma Paixão. 

Outra vantagem da Sombrero destacada pelo executivo em relação a seus concorrentes é ter o centro decisório na própria empresa. “Nossa estratégia não se subordina à de um controlador situado no exterior ou a uma empresa integrante do mercado bancário. E isso é uma grande vantagem no momento de desenvolver produtos adaptados ao Brasil, promover a inovação de processos ou tomar decisões com celeridade”, acrescenta.  

A companhia iniciou sua operação em janeiro de 2022, após ter recebido o aval da Susep e o registro no Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural, do Ministério da Agricultura. Para começar, o patrimônio líquido é de R$ 30 milhões, mas Paixão já prevê novo aporte de capital diante do desempenho nos dois primeiros meses de atuação. “Somos uma seguradora vocacionada para atuar em nichos específicos e que exigem conhecimento profundo, com apoio em tecnologia e inovação. A Sombrero não atua em mercados tradicionais de seguros massificados”, informa Paixão.  

Em menos de dois meses de atuação, a Sombrero comercializou seguros cujos prêmios somam cerca de R$ 80 milhões, com mais de 2 mil clientes somente no setor agro. O objetivo da companhia é chegar a pelo menos R$ 250 milhões de prêmios emitidos em 2022. A operação é apoiada por resseguradores de primeira linha e interage com corretores diferenciados nos segmentos de atuação. 

Atualmente, a Sombrero oferece seguro agrícola, para proteção de lavouras contra o risco climático, mas em breve passará a atuar em outros ramos do seguro rural. “Aconteça o que acontecer, as pessoas necessitam de comida, o que traz resiliência para o agronegócio, um dos principais segmentos da economia brasileira”, comenta. Além das linhas mais específicas para o agronegócio, e do seguro garantia, que já estão em pleno desenvolvimento, ainda no primeiro semestre de 2022 a Sombrero iniciará sua operação em segmentos como os riscos de propriedade e de responsabilidade civil. 

A estratégia da seguradora é ter o corretor como seu principal parceiro de negócios, ofertando a ele uma plataforma digital amigável, onde tem tudo o que precisa para cotar, emitir e regular pedidos de indenizações de forma simples e ágil. Para Paixão, “quem estiver bem-preparado, com tecnologia de ponta e atendimento de qualidade, ágil, simples para facilitar a vida do corretor de seguros e encantar o cliente final, com certeza conquistará um market share destacado”, comenta.

A seguradora tem sede em São Paulo e uma filial  no Rio de Janeiro. Porém, muitos  executivos trabalham em trânsito ou em home office, de diversas outras partes do Brasil, como  Brasília, Curitiba, Itajaí-SC, São Carlos-SP e Palmas-TO, por exemplo. “Cada um de nós sai em viagens para visitar corretores e clientes de sua base. Poucos frequentam o escritório atualmente. Somos uma empresa enxuta e nascida no contexto da pandemia. Isso significa que nossos custos são baixos e quem ganha é o cliente, que recebe condições diferenciadas de uma seguradora especializada e digital”, finaliza. 

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui