mercado

Acontece hoje o Insurance Day, promovido pela StartSe

Denise Bueno
Escrito por Denise Bueno

Pensando nas mudanças que o setor trará nos próximos anos e nas dificuldades que empresas tradicionais e corretores de seguros poderão ter para se atualizarem neste novo cenário, a StartSe, considerada o maior ecossistema de startups, realiza hoje, no Centro de Eventos Pro Magno, em São Paulo, o Insurance Day: O Futuro do Mercado de Seguros.

A proposta é discutir temas que preocupam os corretores com mais tempo de mercado, mas também brilham os olhos de quem está entrando no mercado agora: A internet vai potencializar o setor ou acabar com ele?

Para conhecer mais dos palestrantes e a programação completa do evento clique aqui

Estarei lá mediando o painel sobre regulação das insurtechs, um dos pontos principais para trazer mais segurança para que os investidores apostem suas fichas em novatas que viabilizam serviços, redução de custos e atração de novos consumidores para as seguradoras.

Só para adiantar, conto que a Superintendência de Seguros Privados (Susep) me contou que recebeu solicitações das Insurtechs de melhorias na regulação em reunião realizada no dia 7 de novembro. Em resumo, eles pedem uma autorização especial para operar por um período definido com regras mais brandas, uma regulação proporcional para seguros com menor risco sistêmico e adaptações para economia on demand, por exemplo.
 
Sobre a participação na Sandbox, a Susep participa do Laboratório de Inovação Financeira (LAB), iniciativa de ABDE, BID e CVM, junto também com o Banco Central. Está em discussão uma Resolução CMN com um conjunto de diretrizes para realização de sandboxes no sistema financeiro. A tendência é que a Susep não lance seus próprios editais de Sandbox, mas monitore iniciativas da CVM prestando apoio e para evitar arbitragem regulatória. “Como a execução de uma sandbox é mais complexa no setor de seguros e poderia realizar um “recorte” das iniciativas que nós não desejamos fazer, devemos atuar em aspectos pontuais da regulação, como a permissão de representantes digitais de seguros e a permissão de apólice com vigência menor que 24h e/ou que “liga e desliga””, citou Hugo Mentzingen, coordenador-Geral de Tecnologia da Informação da Susep.
 
Também está no radar, ainda numa agenda a ser aprovada pelo Colegiado, o trabalho numa segmentação das empresas em função do ramo e do risco sistêmico, eximindo parte delas de algumas obrigações como envios de dados, governança, entre outros. “Por fim, sobre a questão de algum país servir de referência, estamos acompanhando os resultados da FCA (Reino Unido), mas as ações da Susep vão seguir a realidade daqui”, disse.

O dia promete muitas notícias. André Gregori, CEO da ThinkSeg, avisou que fará um anúncio importante no evento da StartSe, que já está em uma nota no Valor. A insurtech lançará uma apólice de carro inédita que cobra por quilômetro rodado e conforme o comportamento do motorista, no modelo “pay-per-use” (ou “pague pelo uso”). O produto deve chegar ao mercado até março. Haverá a cobrança de uma mensalidade fixa baixa, que garante eventos como roubo e incêndio, que podem ocorrer com o carro parado. 

Sobre a Autora

Denise Bueno

Denise Bueno

Denise Bueno sempre atuou na área de jornalismo econômico. Desde agosto de 2008 atua como jornalista freelancer, escrevendo matérias sobre finanças para cadernos especiais produzidos pelo jornal Valor Econômico, bem como para revistas como Época, Veja, Você S/A, Valor Financeiro, Fiesp, ACSP, Revista de Seguros (CNSeg) entre outras publicações. É colunista da revista Apólice, especializada em seguros, e também do SindSeg-SP. Escreveu artigos diariamente sobre seguros, resseguros, previdência e capitalizacao entre 1992 até agosto de 2008 para o jornal econômico Gazeta Mercantil.

1 comentário

  • Parabéns Denise pela mediação !!! tenho certeza que teremos varias edições deste encontro, que foi muito bem organizado, e com elevado debate de ideias e exposição de tendencias !! fez jus ao nome … o fututo do corretor !!!

Deixar um comentário