mercado

Lucro da HDI Seguros cresce 15,4%, para R$ 106,9 milhões, em 2015

Denise Bueno
Escrito por Denise Bueno
Borges: Perder o canal HSBC não vai alterar o nosso market share em automóvel

Borges: Perder o canal HSBC não vai alterar o nosso market share em automóvel

A HDI Seguros, empresa do grupo alemão Talanx, divulgou ontem que atingiu R$ 3,2 bilhões em prêmios emitidos no ano passado, crescimento de 16,4% com relação a 2014 – mais de cinco pontos percentuais acima do mercado, que cresceu 11%. O lucro líquido passou de R$ 106,9 milhões em 2014 para R$ 123,4 em 2015, aumento de 15,4%. O Ebtida (sigla em inglês para resultado antes dos impostos e participações), que subiu de R$ 162,1 milhões em 2014 para R$ 179 milhões em 2015 (+10,4%).

Segundo nota divulgada, a seguradora atua nas carteiras de massificados de automóvel e de residência, abrangendo todo o território nacional. Com 1.878.958 veículos e 457.237 residências seguradas, a companhia conquistou fatia maior de market share do ramo automóvel no último ano, passando de 7,6% para 8,7% (dados de mercado acumulados até dezembro de 2015). O HDI Duo, produto simplificado que une seguro auto e residencial, é um dos responsáveis pelos resultados reportados. Em dezembro, o Duo atingiu a marca de 264 mil seguros em vigor.

“Apesar do momento econômico delicado, o setor de seguros tem conseguido crescer. Nós, da HDI, acreditamos que há oportunidades no mercado e daremos continuidade às medidas para manter nossa eficiência operacional, como agilidade nas cotações e emissão de apólices por meio do nosso sistema digital de ponta, a busca por ganhos de escala com o aumento da frota segurada, além de avanços na gestão dos sinistros mediante o uso intensivo de nossa rede de HDI Bate-prontos, centrais dedicadas ao atendimento dos nossos segurados”, afirma João Francisco Borges da Costa, presidente da HDI, na nota.

No último ano, a seguradora investiu na ampliação de filiais nas regiões Sul e Sudeste do país, com o objetivo de facilitar o atendimento às necessidades dos segurados e melhorar a dinâmica de trabalho com corretores. As unidades inauguradas em Santo André (SP), Piracicaba (SP), Vitória (ES), Blumenau (SC) e Cascavel (PR) integram escritório administrativo e Bate-pronto. As filiais HDI são responsáveis pelo atendimento aos corretores, além da emissão das apólices e endossos. Em 2015, 94,5% das apólices foram emitidas em até 10 dias do início de vigência, o que é reflexo da utilização por 100% dos corretores do HDI Digital, sistema online que permite cotações e emissão de apólices novas, endossos e renovações eletronicamente.

A sinistralidade se manteve praticamente estável, redução de 0,2 ponto percentual em relação a 2014 no número de sinistros. Apesar de baixa na frequência de sinistros de automóveis, houve aumento nos custos médios de reparos e peças em função da inflação, fazendo com que a sinistralidade subisse de 67,1% em 2014 para 67,3% em 2015. Já em seguros patrimoniais houve redução na sinistralidade, devido à migração dos negócios de riscos industriais para a HDI-Gerling, outra empresa do Grupo Talanx. Ao todo, foram atendidos 267.175 sinistros de seguros de automóvel, sendo 55% deles processados nas 46 centrais Bate-pronto, com tempo médio de atendimento inferior a 30 minutos, e os 45% restantes registrados por central telefônica. No ramo patrimonial, foram atendidos 12.250 sinistros.

O resultado financeiro da seguradora aumentou de R$ 212,1 milhões em 2014 para R$ 247,5 milhões em 2015. Os ganhos decorrentes de aplicações financeiras foram impactados pelo aumento nas taxas de juros acumulados no período (o CDI saiu de 10,81% no acumulado até dezembro de 2014 para 13,24% no acumulado de 2015).

Sobre a Autora

Denise Bueno

Denise Bueno

Denise Bueno sempre atuou na área de jornalismo econômico. Desde agosto de 2008 atua como jornalista freelancer, escrevendo matérias sobre finanças para cadernos especiais produzidos pelo jornal Valor Econômico, bem como para revistas como Época, Veja, Você S/A, Valor Financeiro, Fiesp, ACSP, Revista de Seguros (CNSeg) entre outras publicações. É colunista da revista Apólice, especializada em seguros, e também do SindSeg-SP. Escreveu artigos diariamente sobre seguros, resseguros, previdência e capitalizacao entre 1992 até agosto de 2008 para o jornal econômico Gazeta Mercantil.

Deixar um comentário