estudos

Catástrofes causaram perdas de US$ 155 bilhões em 2018, revela estudo da Swiss Re

Denise Bueno
Escrito por Denise Bueno

Release

As perdas econômicas totais de catástrofes naturais e provocadas pelo homem em 2018 caíram para US$ 155 bilhões, praticamente a metade dos US$ 350 bilhões registrados em 2017. As perdas seguradas globais estão estimadas em cerca de US$ 79 bilhões, acima da média anual do ano anterior. Catástrofes naturais causaram perdas de US$ 146 bilhões e desastres provocados pelo homem de US$ 9 bilhões.

De acordo com estimativas do tradicional estudo da Swiss Re, houve um número de eventos de desastre menores e de tamanho médio que causaram perdas em todas as regiões neste ano, afetando também regiões com cobertura de seguro bem estabelecida. Juntos, eles fizeram de 2018 o quarto ano mais caro desde os registros dos estudos da Sigma em termos de perdas cobertas pela indústria de seguros. Globalmente, mais de 11 mil pessoas morreram ou desapareceram em eventos de desastre em 2018, semelhante ao número de vítimas em 2017.

O clima extremo causou o quarto maior número de perdas seguradas. Não houve um grande evento singular de catástrofe natural (como Hurricanes Harvey, Irma, Maria em 2017) em 2018. No entanto, as perdas agregadas de um número de eventos menores e médios, juntamente com alguns grandes desastres provocados pelo homem, causou perdas seguras globais consideráveis. Como no ano passado, as perdas da série de eventos de 2018 destacam a crescente vulnerabilidade da crescente concentração humana e valores de propriedade.


Exemplos dos eventos de catástrofe natural devastadores deste ano incluem os furacões Michael e Florence; Tufões Jebi, Trami e Mangkhut; ondas de calor, secas e incêndios florestais na Europa e na Califórnia; inverno e tempestades ao redor do mundo; inundações no Japão e na Índia; terremotos no Japão, na Indonésia e no papa Nova Guiné; e erupções vulcânicas no Havaí.

O setor de seguros contribuiu com US$ 79 bilhões em pedidos pagos para diminuir as dificuldades para as pessoas e empresas afetadas pelos eventos de desastre deste ano. Em outras palavras, mais de 50% de todas as perdas econômicas foram seguradas, demonstrando novamente a contribuição significativa do setor de seguros para mitigar o risco de catástrofe.

As estimativas de perda neste comunicado de imprensa são preliminares e podem estar sujeitas a alterações, pois nem todos os eventos geradores de perdas foram totalmente avaliados.

Sobre a Autora

Denise Bueno

Denise Bueno

Denise Bueno sempre atuou na área de jornalismo econômico. Desde agosto de 2008 atua como jornalista freelancer, escrevendo matérias sobre finanças para cadernos especiais produzidos pelo jornal Valor Econômico, bem como para revistas como Época, Veja, Você S/A, Valor Financeiro, Fiesp, ACSP, Revista de Seguros (CNSeg) entre outras publicações. É colunista da revista Apólice, especializada em seguros, e também do SindSeg-SP. Escreveu artigos diariamente sobre seguros, resseguros, previdência e capitalizacao entre 1992 até agosto de 2008 para o jornal econômico Gazeta Mercantil.

Deixar um comentário