• Perdas de US$ 200 bilhões

    As catástrofes naturais geraram perdas econômicas de US$ 200 bilhões em 2008, segundo o estudo “Topics Geo —Natural catastrophes 2008”, divulgado nesta sexta-feira pela resseguradora alemã Munich Re. Deste valor, as seguradoras arcaram com US$ 45 bilhões, pagando pessoas e empresas que compraram proteção para seus patrimônios. Este foi o terceiro ano...

  • JMalucelli e Hannover: parceria

    O grupo Hannover Re, quinto maior ressegurador do mundo, e a JMalucelli Re, resseguradora local, assinaram uma parceria que visa impulsionar a venda de seguros de vida no Brasil, um segmento que representa menos de 10% das vendas totais das seguradoras brasileiras, excluído o VGBL, um produto de acumulação de renda. Menos de...

  • Crescimento menor, mas sem recessão

    A grande maioria das seguradoras passou o mês de outubro refazendo orçamentos de 2009. Uma pena ter de revisar para baixo as projeções de crescimento de vendas, de lucratividade, de contratação de funcionários e de investimentos. Porém, é uma situação melhor do que países da Europa e dos Estados Unidos têm enfrentado....

  • Executivo exige proteção financeira*

    A demanda de executivos por proteção financeira tem trazido mais seguradoras para explorar este nicho de negócio. Um negócio restrito praticamente à Chubb e Unibanco AIG até 2006, quando o IRB Brasil Re, na época o único ressegurador autorizado a operar, optou por autorizar as seguradoras a contratar resseguro no exterior no...

  • Grandes riscos: mais coberturas por um preço menor*

    As grandes empresas do Brasil serão beneficiadas por um programa de seguros mais amplo e com um custo mais acessível. Essa é a aposta da grande maioria dos executivos de seguradoras e corretoras. A avaliação tem como base a abertura do mercado de resseguros no País e o ciclo de farta oferta...

  • Brasil tem a maior indústria de seguros da América Latina e a que mais cresce entre os países do Bric*

    Apostas no mercado de seguros do Brasil não faltam. “O crescimento da economia brasileira impulsiona a indústria de seguros, que deverá crescer num ritmo muito superior ao esperado em outros países”, diz Jérôme Cazas, CEO mundial da Coface, uma das maiores seguradoras do mundo em seguro de crédito. “Entrarmos no mercado brasileiro...

  • Vendas devem superar R$ 96 bi em 2008*

    2008 será um ano de desafios para o mercado de seguros, previdência, vida, saúde e capitalização. “2007 foi marcado por mudanças, como as regras de solvência, a abertura do resseguro. Mas para mim o que ficou marcado foi a união de todo o setor em prol destas mudanças, que vão ajudar o...

  • TAM tem apólice de seguro de US$ 1,5 bilhão*

    A TAM tem uma apólice de responsabilidade civil, para indenizar danos materiais, corporais e morais causados a terceiros com valor de US$ 1,5 bilhão e outro contrato que cobre os danos da aeronave, estimado em aproximadamente US$ 50 milhões, segundo informação de fontes do mercado de seguros. Esse valor é equivalente ao...

  • Acidente da Tam pouco afeta balanço de seguradoras*

    O maior acidente aéreo do Brasil, com a aeronave da TAM, ocorrido no último dia 17, trará impactos para o mercado de seguros, mas não afetará fortemente o balanço financeiro das seguradoras. Tão pouco os das seguradoras internacionais. Também não causará aumentos significativos de preço no seguro aeronáutico mundial, que até o...

  • Mercado dobrará de tamanho, prevê estudo da S&P

    A indústria de seguros, que hoje detém uma participação de 2,6% no Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, deverá dobrar sua participação no médio prazo. Esse é o cenário previsto pela Standard & Poor’s no estudo “Brazil’s Top 20 Insurance Companies”, que inclui seu primeiro ranking das 20 maiores empresas de seguros no...