mercado

Indenizações por mordidas de cães somam US$ 700 milhões em 2017 nos EUA

Denise Bueno
Escrito por Denise Bueno

Nos EUA, existem 90 milhões de cachorros. Anualmente, há 4,5 milhões de mordidas de cachorro contra humanos. Em 2017, o volume de sinistros nesse seguro foi de quase US$ 700 milhões, com aproximadamente 19 mil sinistros. Ou seja, uma indenização média de uns US$ 35 mil,  segundo estudo divulgado pelo Insurance Information Institute (III), uma entidade norte-americana responsável por divulgar estatísticas sobre o mercado de seguros daquele país.

Em geral, os seguros de responsabilidade civil contra esse evento têm de Importância Segurada entre US$ 100 mil e US$ 300 mil. Para valores acima, o proprietário é o responsável. Em alguns tipos de raça, a seguradora não se interessa pelo seguro, como pit-bulls. Em outras seguradoras, isso não é importante. Mas, se o cachorro já mordeu, ele passa a ter um fator de risco aumentado, destaca o consultor Francisco Galiza em artigo sobre o tema.

De 2003 para 2017, a quantidade total de sinistros aumentou 10%, mas indenização média aumentou 90%, pelo incremento dos custos médicos e mais decisões judicial. Dentre os estados, a Califórnia lidera, com mais de duas mil mordidas por ano.

Galiza ressalta que o levantamento citado tem mais detalhes, inclusive uma discussão sobre o aspecto jurídico envolvido.

 

Sobre a Autora

Denise Bueno

Denise Bueno

Denise Bueno sempre atuou na área de jornalismo econômico. Desde agosto de 2008 atua como jornalista freelancer, escrevendo matérias sobre finanças para cadernos especiais produzidos pelo jornal Valor Econômico, bem como para revistas como Época, Veja, Você S/A, Valor Financeiro, Fiesp, ACSP, Revista de Seguros (CNSeg) entre outras publicações. É colunista da revista Apólice, especializada em seguros, e também do SindSeg-SP. Escreveu artigos diariamente sobre seguros, resseguros, previdência e capitalizacao entre 1992 até agosto de 2008 para o jornal econômico Gazeta Mercantil.

1 comentário

Deixar um comentário