carreira

Augusto Fonseca, ex-Zurich, inicia 2018 como membro da equipe do Instituto Lean

Denise Bueno
Escrito por Denise Bueno

Engajar equipes. Esse é um dos principais desafios das corporações em tempos de economia digital. Por mais que se invista em tecnologia, se a engrenagem humana não estiver motivada com propósitos que gerem felicidade, a insurtech será como “um avião sem asa” e fará parte daquelas centenas de empresas que morrem antes do primeiro ano de vida.

Esse cenário fez crescer no mundo a filosofia Lean, da qual o executivo Augusto Fonseca, ex-Zurich, faz parte há anos como simpatizante e a partir deste mês como parte da equipe do Lean Institute do Brasil, instituição sem fins lucrativos, integrante da Lean Global Network presente em 21 países. “Me faz muito feliz ser parte de um instituto que é referência mundial na disseminação da filosofia Lean Thinking”, diz ele em entrevista ao blog Sonho Seguro.

Augusto tem 30 anos de experiência atuando em empresas como Bradesco Seguros, Unibanco Seguros, Liberty Seguros e Zurich Seguros. Em todas elas desenvolveu projetos de eficiência operacional. Internacionalmente atuou em países como Argentina, Portugal e Suíça onde além da participação em projetos de eficiência, consolidou sua especialização nas ferramentas Lean.

A filosofia “Lean” é definida como uma gestão inspirada em práticas e resultados do Sistema Toyota. Ao longo das últimas décadas, organizações de praticamente todos os setores têm usado lean como meio fundamental para transformar realidades gerenciais, potencializar resultados e melhor aproveitar o potencial humano.

Em novembro do ano passado foi realizado em São Paulo o 1º Lean Digital Summit. “O objetivo foi detalhar como o sistema lean tem ajudado algumas das maiores empresas do mundo a otimizar a transformação digital”, conta Fonseca. Ele destaca a pressão pela qual as empresas têm passado para realizar a transformação digital dos negócios e se manterem competitivas e relevantes diante de um novo cenário de mercado e de consumidores hiperconectados.

“O atual ambiente de negócios exige respostas rápidas e de qualidade. Usar a gestão digital lean pode significar ganhos de oportunidades de ingressar em novos mercados e conquistar clientes que estão fora do setor de seguros. Um ponto que se eleve o market share de uma companhia, com um produto a mais consumido pela base de clientes já conquistados, trará ganhos financeiros surpreendentes para uma seguradora. E esse é o objetivo da gestão digital Lean”, explica Fonseca, que foi convidado para junto com Christopher Thompson, diretor no Lean Institute, desenvolver o prooduto Lean Digital.

Em recente entrevista ao blog Sonho Seguro, Paulo Umeki, vice-presidente da Liberty Seguros, contou que embasar os propósitos definidos e orientados à criação de valor para o cliente, estratégia fundamentada na filosofia do Instituto Lean, fez a Liberty Seguros Brasil exibir um crescimento de 23% na venda de seguro de carro de janeiro a meados de novembro deste ano. Um percentual muito acima dos 6,4% da média do mercado. As vendas de seguro de carro, que representam cerca de 82% do faturamento da companhia, têm sido puxadas pela marca Aliro, lançada em setembro.

Sobre a Autora

Denise Bueno

Denise Bueno

Denise Bueno sempre atuou na área de jornalismo econômico. Desde agosto de 2008 atua como jornalista freelancer, escrevendo matérias sobre finanças para cadernos especiais produzidos pelo jornal Valor Econômico, bem como para revistas como Época, Veja, Você S/A, Valor Financeiro, Fiesp, ACSP, Revista de Seguros (CNSeg) entre outras publicações. É colunista da revista Apólice, especializada em seguros, e também do SindSeg-SP. Escreveu artigos diariamente sobre seguros, resseguros, previdência e capitalizacao entre 1992 até agosto de 2008 para o jornal econômico Gazeta Mercantil.

Deixar um comentário