saúde

IESS divulga vencedores do VII Prêmio IESS de Produção Científica em Saúde Suplementar

release

A coordenação do VII Prêmio IESS de Produção Científica em Saúde Suplementar, promovido pelo Instituto de Saúde Suplementar (IESS), divulgou nesta manhã (7) os vencedores da edição 2017. A premiação destacou os melhores trabalhos acadêmicos com foco em saúde suplementar no Brasil durante o “Seminário Qualidade e Eficiência na Saúde”, no complexo Aché Cultural, no Instituto Tomie Ohtake.

“O Prêmio busca fomentar a pesquisa nacional e é uma importante colaboração do IESS com o objetivo de garantir uma melhor compreensão e a sustentabilidade da saúde suplementar no País. As categorias de Promoção da Saúde, Economia e Direito contemplam os desafios mais latentes do setor”, comenta o superintendente executivo do IESS, Luiz Augusto Carneiro. “A cada edição do Prêmio IESS, é notável o avanço na profundidade dos trabalhos e no debate que geram na sociedade”, conclui.

O Prêmio IESS de Produção Científica em Saúde Suplementar tem como objetivo incentivar a pesquisa e valorizar estudos com qualidade técnica e que contribuem para a melhoria do setor. São premiados os dois melhores trabalhos de conclusão de cursos de pós-graduação (especialização, MBA, mestrado ou doutorado) nas três categorias que compõem o prêmio. Os trabalhos ficam disponíveis no site do IESS: www.iess.org.br.

Na categoria Promoção de Saúde e Qualidade de Vida, a grande vencedora foi Eulalia Martins Fraga com o trabalho “Atenção Primária na Saúde Suplementar: estudo de caso de uma Operadora de Saúde de Belo Horizonte”, trabalho de especialização na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas). O segundo lugar ficou com Fernando de Rezende Francisco, que desenvolveu o estudo “Aplicação de Avaliação de Tecnologias em Saúde (ATS) na Tomada de Decisão em Hospitais” no Mestrado em Administração de Empresas, da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

O estudo vencedor na categoria Economia foi “Assimetria de informação a partir da Regulação do Mercado de Saúde Suplementar no Brasil: Teoria e Evidências”, de Luís Carlos Moriconi de Melo, do Mestrado Profissional em Economia, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRS). Já a segunda colocação foi conquistada por Samara Lauar Santos, do Mestrado em Demografia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), com o trabalho “Envelhecimento Populacional e Gastos com Saúde: Uma Análise das Transferências Intergeracionais e Intrageracionais na Saúde Suplementar Brasileira.

Na categoria Direito, apenas um estudo preencheu os requisitos que configuram medidas cabíveis aos desafios do setor. O trabalho vencedor foi “Processo decisório e motivação no âmbito das normas sobre o rol de procedimentos e eventos em saúde”: uma análise exploratória”, de Bruno Araújo Ramalho, aluno do Mestrado em Direito da Regulação, da Escola de Direito da Fundação Getúlio Vargas (FGV) do Rio de Janeiro.

A programação do “Seminário Qualidade e Eficiência na Saúde” também apresentou o novo IESSdata, que fornece os números mais atuais do setor de saúde suplementar e da economia brasileira e as palestras especiais “Revolucionando a saúde por meio da eficiência e qualidade”, com Maureen Lewis, CEO da Aceso Global; e “Mensuração e Melhoria da Qualidade Assistencial na Saúde” com a Doutora em Medicina Preventiva Ana Maria Malik, da Fundação Getúlio Vargas.

Sobre a Autora

Denise Bueno

Denise Bueno

Denise Bueno sempre atuou na área de jornalismo econômico. Desde agosto de 2008 atua como jornalista freelancer, escrevendo matérias sobre finanças para cadernos especiais produzidos pelo jornal Valor Econômico, bem como para revistas como Época, Veja, Você S/A, Valor Financeiro, Fiesp, ACSP, Revista de Seguros (CNSeg) entre outras publicações. É colunista da revista Apólice, especializada em seguros, e também do SindSeg-SP. Escreveu artigos diariamente sobre seguros, resseguros, previdência e capitalizacao entre 1992 até agosto de 2008 para o jornal econômico Gazeta Mercantil.

Deixar um comentário