mercado

Lucro das seguradoras recua para R$ 10,9 bi até outubro

Denise Bueno
Escrito por Denise Bueno

A inovação é o ponto comum nas quatro seguradoras que atuam em nichos diversos e que foram as únicas a contabilizarem crescimento no lucro líquido de janeiro a outubro deste ano, comparado com o mesmo período do ano anterior, segundo ranking elaborado pela consultoria Siscorp, com base nos dados da Superintendência de Seguros Privados (Susep). O lucro líquido geral do setor caiu de R$ 11,6 bilhões para R$ 10,9 bilhões no período analisado.

Entre as 15 maiores, quatro se destacam. Caixa lançou a Youse, uma plataforma de venda de seguro somente por meio digital, considerada a empresa do setor de seguro que mais investiu em propaganda e marketing em 2017. A AIG reformulou toda a sua operação e começa colher os frutos, saindo das primeiras colocações de perdas para ser a décima maior em lucro até outubro.

A Tokio Marine foi uma das primeiras a apostar no auto popular e a estratégia, até agora, se mostra vencedora. A Liberty Seguros apostou na telemetria em automóvel na qual oferece um preço justo para cada perfil de consumidor e agradou. As vendas da marca Aliro surpreendem por ser mais do que o triplo da expectativa inicial. Além de diversificação a atuação com produtos inovadores em diversos segmentos, o grupo obteve ganho ao apostar no processo “no touch”, sem papel, para simplificar o dia a dia dos corretores e ter um preço mais competitivo.

Itaú, apesar da queda no lucro, pode ser considerada também um ganho, pois o grupo deixou de atuar em vários segmentos em 2016, com reflexo no ganho em 2017. Sem considerar os efeitos extraordinários, o grupo apresentaria lucro maior.

A boa notícia é que boa parte as seguradoras aposta suas fichas na inovação, na diversificação, na busca pela eficiência operacional para conviver com taxas de juros menores. Hoje, a expectativa dos especialistas é de que haverá um novo corte na Selic, para 7% ao ano. Quem não fizer a lição de casa e praticar preços comerciais e não técnicos, certamente terá uma vida curta diante do cenário que se desenha para 2018: ano de eleições, um período em que geralmente a violência aumenta, bem como as turbulências econômicas.

Será um ano de fortes emoções. E como já dizia Renato Russo na banda Legião Urbana: disciplina é liberdade!

Confira o ranking completo:

Sobre a Autora

Denise Bueno

Denise Bueno

Denise Bueno sempre atuou na área de jornalismo econômico. Desde agosto de 2008 atua como jornalista freelancer, escrevendo matérias sobre finanças para cadernos especiais produzidos pelo jornal Valor Econômico, bem como para revistas como Época, Veja, Você S/A, Valor Financeiro, Fiesp, ACSP, Revista de Seguros (CNSeg) entre outras publicações. É colunista da revista Apólice, especializada em seguros, e também do SindSeg-SP. Escreveu artigos diariamente sobre seguros, resseguros, previdência e capitalizacao entre 1992 até agosto de 2008 para o jornal econômico Gazeta Mercantil.

Deixar um comentário