companhias

Otimismo e atitudes empreendedoras para enfrentar 2018, recomenda CEO do grupo Bradesco Seguros

Denise Bueno
Escrito por Denise Bueno

Otimismo e empreendedorismo para enfrentar os desafios de 2018. Essa é a receita de sucesso, segundo Octavio de Lazari Junior, presidente do grupo Bradesco Seguros. “Se relembrarmos tudo que pensamos e desejamos no inicio deste ano e ver como estamos terminando. Independente das dificuldades e desafios,não tem nada que pague a união de todos no debate para melhorar o mercado segurador. A mensagem que posso trazer a todos é agradecer o dom da vida, da briga, da discussão, das desavenças, pois tudo isso nos faz vivo e nos vitaliza para buscar o bem dos clientes, dos funcionários, dos parceiros, dos negócios”, disse aos corretores e jornalistas presentes no almoço de final de ano realizado pelo Sindicato dos Corretores de São Paulo (Sincor-SP), na última terça-feira.

Para 2018, otimismo acima de tudo, “Independentemente de 2018 ser um ano eleitoral, o importante é ter saúde para dar mais um passo na construção de um mundo melhor para nossas empresas, para nossas famílias e para o Brasil”. Ele ressaltou a responsabilidade como executivo. “As decisões tomadas por nós influenciam a vida de 40 mil corretores que trabalham conosco, de 30 mil gerentes que diariamente atendem os clientes do banco. Só isso representa cerca de 30 mil famílias, que dependem dos serviços que prestamos à sociedade. Eis algo que nos motiva a superar os desafios e querer sempre trazer otimismo para que todos vivam melhor”.

O executivo mencionou que os quatro anos têm sido difíceis no tocante a economia e politica. Porém, acredita que muitas coisas já se ajustam, citando a queda da taxa básica de juros e o controle da inflação. “As expectativas são boas, apesar de ser um ano de eleição, o que torna nossos desafios ainda mais desafiadores”, reforça.

A discussão sobre mudanças na legislação dos planos de saúde foi o primeiro a ser citado pelo executivo. “Temos discussões relevantes pela frente, como a obrigatoriedade de venda de seguro individual, o parcelamento do reajuste para idoso entre outros. São medidas que afetam muito as empresas do segmento”.

O segmento de automóvel também sinaliza muitas mudanças para 2018 com a aplicação de novas tecnologias, embarcas nos veículos ou por meio do smartphone. “Quando analisamos o mercado mundial, nós não sentimos inveja do que vemos no mundo. Estamos no caminho certo. O que precisamos é aumentar escala e gerar percepção de valor para o cliente”, avalia.

Em relação ao futuro das plataformas digitais para venda de seguros, Lazari acredita que todas as seguradoras devem analisar com seriedade. “Tem de gerar valor para o cliente, para a companhia e para os corretores. Se não fizer isso, não vai ter sucesso”, diz. Simples assim.

Outro tema importante e que tem peso relevante para o grupo Bradesco é a discussão tem torno da reforma da Previdência e que promete consumir o dia a dia dos executivos do grupo. “Todos já se conscientizaram que a reforma é inevitável para não comprometer o pagamento da aposentadoria social no futuro. Nossa preocupação e de toda a nossa equipe está em ter produtos e serviços que ajudem a sociedade a se preparar para a longevidade, desde auxiliando no cuidado da saúde como na gestão de recursos financeiros”.

Alexandre Camillo, presidente do Sincor-SP, comemorou 2017, como sendo um ano de grandes conquistas para o sindicato e para os corretores. “Levar para o mercado de corretores a confiança em si próprio com o programa do empreendedorismo tem sido algo de grande orgulho para nós. Nos adaptarmos ao momento de transição e esse é o grande legado do ano.”, afirmou.

Mauro Batista, presidente do Sindicato das Seguradoras de São Paulo (SindiSeg-SP), também afirmou que 2017 foi um ano de grandes conquistas. “Caminhamos muito positivamente entre os sindicatos das seguradoras e dos corretores. Essa relação tem sido muito próspera”, disse. Ele também enfatizou a importância do programa Viver Seguro. “Essa semente que plantamos juntos aos jovens carentes vai fazer que eles tenham uma visão de futuro muito melhor”.

Sobre a Autora

Denise Bueno

Denise Bueno

Denise Bueno sempre atuou na área de jornalismo econômico. Desde agosto de 2008 atua como jornalista freelancer, escrevendo matérias sobre finanças para cadernos especiais produzidos pelo jornal Valor Econômico, bem como para revistas como Época, Veja, Você S/A, Valor Financeiro, Fiesp, ACSP, Revista de Seguros (CNSeg) entre outras publicações. É colunista da revista Apólice, especializada em seguros, e também do SindSeg-SP. Escreveu artigos diariamente sobre seguros, resseguros, previdência e capitalizacao entre 1992 até agosto de 2008 para o jornal econômico Gazeta Mercantil.

Deixar um comentário