companhias

Minuto Seguros é eleita uma das empresas mais disruptivas do Brasil

Denise Bueno
Escrito por Denise Bueno

Release

Uma das principais corretoras do País e líder no segmento de seguros online, a Minuto Seguros agora também é a quinta empresa mais disruptiva do Brasil. Ou seja, a companhia está entre aquelas que vão mudar a lógica do mercado – e isso pode estar relacionado tanto à tecnologia quanto ao modelo de negócio.

Esse marco, mais do que relevante para a história da empresa, tem como base o estudo produzido pela revista Consumidor Moderno, chamado MVP (Mais Valor Produzido). A Minuto Seguros ficou atrás apenas de Netflix, 99Taxi, Adama e Reserva. E à frente de outras como Nubank, Movile, Dr. Consulta, Bullguer e Banco Neon, dentre outras.

“Sentimo-nos honrados pelo reconhecimento entre companhias gigantes como essas. A Minuto está constantemente em busca do novo, mas o foco no cliente e o atendimento humanizado continuam sendo fatores fundamentais para o nosso sucesso” , diz o CEO da Minuto Seguros, Marcelo Blay.

O estudo do MVP é desenvolvido pela DOM Strategy Partners em parceria com o Grupo Padrão e identifica quais empresas mais apresentam capacidade de proteger e gerar valor em um horizonte de 18 meses (os últimos 12 e os próximos seis). Neste ano, além de produzir o ranking tradicional MVP, separado por áreas e segmentos, a revista destacou também as empresas disruptivas que mais geram e protegem valor para os stakeholders.

Na opinião da Consumidor Moderno, as empresas disruptivas são aquelas que vão mudar a lógica do mercado – e isso pode estar relacionado tanto à tecnologia quanto ao modelo de negócio implementado. A Minuto Seguros, neste caso, entra como uma corretora que faz venda de seguros online, mas oferece um atendimento humano, que faz parte do processo, além de oferecer uma variedade enorme de seguradoras que incluem os principais players do mercado.

Sobre a Autora

Denise Bueno

Denise Bueno

Denise Bueno sempre atuou na área de jornalismo econômico. Desde agosto de 2008 atua como jornalista freelancer, escrevendo matérias sobre finanças para cadernos especiais produzidos pelo jornal Valor Econômico, bem como para revistas como Época, Veja, Você S/A, Valor Financeiro, Fiesp, ACSP, Revista de Seguros (CNSeg) entre outras publicações. É colunista da revista Apólice, especializada em seguros, e também do SindSeg-SP. Escreveu artigos diariamente sobre seguros, resseguros, previdência e capitalizacao entre 1992 até agosto de 2008 para o jornal econômico Gazeta Mercantil.

Deixar um comentário