Vida e Previdência

Captação de previdência aberta avança 7,9% até setembro, para R$ 84,2 bi

Denise Bueno
Escrito por Denise Bueno

A discussão em torno da reforma da previdência tem despertado ainda mais o interesse da população sobre o tema e o resultado é um aumento na captação de recursos nos planos abertos, mesmo com a crise que ainda restringe o orçamento das família. Uma das tarefas que mais consome a atenção do presidente Michel Temer é a tentativa de votar a reforma da Previdência. Segundo líderes de partidos consultados pelo site Poder360, o governo está longe de ter os votos necessários para aprovar ainda neste ano as novas regras da aposentadoria.

Segundo o portal Estadão, a nova versão da reforma da Previdência só afetaria 35% dos aposentados, especialmente servidores federais e homens que se aposentam por tempo de contribuição no INSS. Enquanto isso, senadores ampliam em 40% gastos com jatinhos e apresentam despesas inclusive durante o recesso.

Segundo a Fenaprevi, nos nove meses de 2017, as contribuições a planos de previdência aberto somaram R$ 84,2 bilhões e a expansão foi de 7,9% em relação aos R$ 78,03 bilhões do mesmo período em 2016. O resultado da captação líquida foi de R$ 39,09 bilhões (+0,6%), na comparação com os R$ 38,87 bilhões computados de janeiro a setembro do ano anterior.

Os planos VGBL receberam contribuições de R$ 77,28 bilhões no acumulado do ano. Já no PGBL o volume de aportes foi de R$ 6,32 bilhões no mesmo período. Na análise por tipo de contratação, os aportes nos planos individuais somaram R$ 75,67 bilhões (incluindo planos para menores) e registrou crescimento de 8,92%. O restante dos aportes de R$ 9,95 bilhões, foi destinado a planos coletivos contratados por empresas em favor de seus colaboradores, e apresentou um recuo de 0,46%.

A captação líquida de R$ 4,92 bilhões em setembro, apresentou um saldo 40,01% superior aos R$ 3,51 bilhões verificados em setembro do ano passado. Segundo dados da federação, em setembro os resgates totalizaram R$ 4,66 bilhões. No mesmo mês do ano passado, os valores somaram R$ 3,51 bilhões.

Na avaliação do acumulado de julho a setembro, a performance do setor também apresentou um resultado positivo, segundo dados do balanço da FenaPrevi. No terceiro trimestre, as contribuições somaram R$ 29,76 bilhões, e o total foi 14,19% maior que o montante registrado no terceiro trimestre de 2016. O resultado da captação líquida no período ficou com saldo positivo de R$ 14,76 bilhões, apresentando resultado 11,20% superior ao computado de julho a setembro do ano passado.

Segundo a FenaPrevi, os planos VGBL receberam contribuições de R$ 27,46 bilhões no acumulado do ano. Já no PGBL o volume de aportes foi de R$ 2,09 bilhões no mesmo período. Na análise por tipo de contratação, no terceiro trimestre, os aportes nos planos individuais somaram R$ 26,38 bilhões (incluindo planos para menores) e registrou crescimento de 15,69%.O restante dos aportes de R$ 3,38 bilhões, foi destinado a planos coletivos contratados por empresas em favor de seus colaboradores, e apresentou alta de 3,74%.

Sobre a Autora

Denise Bueno

Denise Bueno

Denise Bueno sempre atuou na área de jornalismo econômico. Desde agosto de 2008 atua como jornalista freelancer, escrevendo matérias sobre finanças para cadernos especiais produzidos pelo jornal Valor Econômico, bem como para revistas como Época, Veja, Você S/A, Valor Financeiro, Fiesp, ACSP, Revista de Seguros (CNSeg) entre outras publicações. É colunista da revista Apólice, especializada em seguros, e também do SindSeg-SP. Escreveu artigos diariamente sobre seguros, resseguros, previdência e capitalizacao entre 1992 até agosto de 2008 para o jornal econômico Gazeta Mercantil.

Deixar um comentário