saúde

Sistema Unimed apoia iniciativa para aprimorar atendimento ao paciente com câncer

Denise Bueno
Escrito por Denise Bueno

Release

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o número de mortes no Brasil devido ao câncer aumentou 31% desde 2000, comparando registros anuais, e chegou a 223,4 mil pessoas no final de 2015. Mais de 32,6 milhões de pessoas lutam contra o câncer atualmente, segundo a OMS, e esse é também um desafio para os sistemas de saúde. Por isso, oito operadoras e um hospital do Sistema Unimed participam do Projeto Oncorede, iniciativa lançada em 2016 pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e que propõe um novo modelo de cuidado aos pacientes visando aprimorar a prestação de serviços de atenção oncológica no País.

O Projeto Oncorede integra uma série de ações, como a implantação de laudo integrado de exames para facilitar e tornar mais efetivo o tratamento; reunião de informações sobre o paciente em um sistema de registro eletrônico de saúde, que possibilite a consulta de todos os profissionais envolvidos no cuidado; estruturas de cuidado paliativo e tratamento de suporte, em especial para quem não teve resposta aos demais tratamentos; capacitação e treinamento de profissionais; entre outras. A partir do programa, espera-se a melhoria na qualidade do atendimento e a integração do diagnóstico e das intervenções mais relevantes – quimioterapia, radioterapia e cirurgia.

Nesse sentido, a Central Nacional Unimed (CNU), operadora nacional para planos de saúde empresariais Unimed, uma das participantes do Projeto Oncorede, incentiva a adoção do estilo de vida saudável, atuando na prevenção da doença. “Para os beneficiários portadores de câncer, em tratamento ou em pós-tratamento, a CNU disponibiliza um programa focado no cuidado integral e coordenado, buscando uma assistência mais efetiva. Em todos os nossos contatos com o paciente, reforçamos a ideia de que o câncer é uma enfermidade crônica com exacerbações agudas, e não uma doença sinônimo de sofrimento e morte.”, diz o dr. Gines Henrique Martines, médico responsável pela iniciativa na operadora.

Nesta primeira fase do projeto, iniciado em 2017, beneficiários portadores da doença residentes no município de São Paulo são escolhidos aleatoriamente e convidados para o programa. Atualmente, são 97 participantes. Entre as ações desenvolvidas pela CNU estão telemonitoramentos, em que um enfermeiro realiza ligações periódicas ao beneficiário para monitoramento, suporte de Aconselhamento Médico telefônico (AMT), por meio de Central de Atendimento, disponível 24 horas (0800) e Emergência Médica Domiciliar (EMD), sendo esta indicada mediante agravos clínicos ou sinais de descompensação do quadro clínico que requeira atendimento médico.

A Unimed Belo Horizonte (MG) também iniciou em abril de 2017, suas atividades no Projeto Oncorede e tem como foco a reorganização do cuidado oferecido às pacientes diagnosticadas com câncer de mama. “O trabalho prioriza a redução do tempo entre o diagnóstico e início do tratamento, incluindo a revisão do percurso assistencial desde o rastreamento rotineiro até a confirmação do câncer. Para tanto, temos trabalhado no desenvolvimento de uma ferramenta tecnológica de uso interno para agilizar as etapas do processo e garantir a rastreabilidade e a disponibilidade de laudos para pacientes e médicos”, ressalta José Augusto Ferreira, diretor de Provimento de Saúde da Unimed-BH.

“Apoiamos a implantação do Projeto Oncorede em todo o Sistema Unimed, uma vez que possui importantes pontos de intersecção com o modelo assistencial defendido pela Unimed do Brasil, a Atenção Integral à Saúde”, destaca Orestes Pullin, presidente da Unimed do Brasil. Baseado na atenção primária, a Atenção Integral preconiza a continuidade do cuidado por meio da atuação de um médico de referência que acompanha, ao longo dos anos, a vida clínica dos pacientes.

Mude1Hábito

Estudo científico publicado pela American Cancer Society estabeleceu uma conexão entre hábitos saudáveis e redução de risco de câncer e mortalidade pela doença: um terço das mortes por câncer nos Estados Unidos a cada ano se relacionam à dieta desequilibrada e sedentarismo. Além disso, diferentes organizações internacionais, como o World Cancer Research Fund e o American Institute for Cancer Research, e nacionais, como o Instituto Nacional do Câncer (Inca), recomendam o consumo diário de pelo menos cinco porções de frutas e verduras (cerca de 400 g) para a prevenção da doença.

Para incentivar a adoção de uma vida mais saudável, neste ano a Unimed lançou no Dia Mundial da Saúde (7/4) o movimento Mude1Hábito, que convida as pessoas a realizarem pequenas mudanças no dia a dia e está alinhada à estratégia de cuidado integral da Unimed do Brasil. Para o movimento, a marca criou a plataforma www.mude1habito.com.br, um hub de conteúdo onde as pessoas podem trocar experiências, utilizar ferramentas que vão ajudar na mudança e acompanhar sua evolução pessoal, além de realizar diversas ações de comunicação sobre o tema.

Sobre a Autora

Denise Bueno

Denise Bueno

Denise Bueno sempre atuou na área de jornalismo econômico. Desde agosto de 2008 atua como jornalista freelancer, escrevendo matérias sobre finanças para cadernos especiais produzidos pelo jornal Valor Econômico, bem como para revistas como Época, Veja, Você S/A, Valor Financeiro, Fiesp, ACSP, Revista de Seguros (CNSeg) entre outras publicações. É colunista da revista Apólice, especializada em seguros, e também do SindSeg-SP. Escreveu artigos diariamente sobre seguros, resseguros, previdência e capitalizacao entre 1992 até agosto de 2008 para o jornal econômico Gazeta Mercantil.

Deixar um comentário