seguros gerais

Lembre-se do seguro viagem

Denise Bueno
Escrito por Denise Bueno

Por Rafael Turra, diretor operacional e de produtos Schultz pela área do Vital Card Seguro Viagem e pela TZ Corretora de Seguros

Feriados à vista, festas de final de ano em destinos encantadores e férias escolares. O timing é perfeito para, quem ainda não se planejou, organizar sua próxima viagem. Mas sabe aquela impressão de que está faltando algo na mala? Bem… O fato é que, quase sempre, na hora de arrumar as malas, pegar os documentos e fazer o checklist, o turista se dá conta que ficou faltando. E foi o seguro viagem.

Muitas pessoas se esquecem de contratar um seguro para cobrir a viagem. Nós lembramos de desbloquear o cartão de crédito ou mesmo de contratar o serviço de roaming internacional mas, talvez pela falta de conhecimento sobre preços e aplicabilidade de um seguro, ou mesmo por puro esquecimento, os viajantes acabam não se lembrando deste serviço tão precioso.

O seguro viagem ampara o viajante em uma situação de urgência e emergência relacionada à saúde e também em outras situações como extravio de bagagem, despesas farmacêuticas e odontológicas, despesas por atraso de voo, hospedagem forçada por catástrofe climática, repatriações médicas e outras.

Como qualquer outro produto, existem diversas modalidades de seguros viagem no mercado, com diferentes itens cobertos e objetivos distintos para cada um. Existem produtos para o viajante de lazer, para o esportista, para viagens de negócios, intercambistas e etc. Também há variáveis de exigências legais para determinados destinos. Na Europa, por exemplo, devido ao tratado de Schengen, toda viagem precisa ter uma apólice de seguro viagem contratada pelo período de sua viagem com uma cobertura mínima de 30 mil Euros. Você sabia?

A contratação ideal é aquela feita por assessoria de uma agência de viagens ou corretor de seguros. Estes profissionais estão treinados e homologados para oferecer corretamente o produto certo para o perfil da viagem e do viajante. Ao contrário do que muitos pensam, o seguro não ficará mais caro por ter estes profissionais no intermédio, sendo uma garantia extra ao consumidor que terá, além da companhia de seguros, um profissional experiente para auxiliar ele de ponta a ponta.

No Brasil, existem hoje 15 empresas operacionalizando o seguro viagem, cada qual com seu know-how e portfolio. Por isso, é fundamental a pesquisa do consumidor antes da contratação, acerca da companhia que ele escolher para emitir seu seguro viagem, analisando o produto mais completo e com a melhor qualidade de atendimento.

O foco de um seguro viagem é ajudar as pessoas a usufruírem de todos os serviços que precisarem sem a necessidade de, durante algum incidente na viagem, por exemplo, descobrir que o serviço não estava incluído no plano adquirido. O seguro viagem pode e deve ser contratado tanto para viagens internacionais, quanto para nacionais.

Mesmo no Brasil, os viajantes podem se deparar com situações em que o plano de saúde não irá auxiliar como, por exemplo, o extravio da bagagem ou até a necessidade de repatriação médica para sua cidade de domicilio. O seguro viagem nacional é também muito utilizado como solução para empresas que possuem funcionários viajando pelo Brasil todo, pois tem um custo benefício muito mais vantajoso do que um plano de saúde em âmbito nacional. Obviamente, são produtos distintos, mas que o seguro viagem em situações emergenciais irá atender plenamente.

Está programando a sua próxima viagem? Então lembre-se do seguro viagem. Ele é fundamental para que você possa minimizar os seus problemas. No mais, aproveite!

Sobre a Autora

Denise Bueno

Denise Bueno

Denise Bueno sempre atuou na área de jornalismo econômico. Desde agosto de 2008 atua como jornalista freelancer, escrevendo matérias sobre finanças para cadernos especiais produzidos pelo jornal Valor Econômico, bem como para revistas como Época, Veja, Você S/A, Valor Financeiro, Fiesp, ACSP, Revista de Seguros (CNSeg) entre outras publicações. É colunista da revista Apólice, especializada em seguros, e também do SindSeg-SP. Escreveu artigos diariamente sobre seguros, resseguros, previdência e capitalizacao entre 1992 até agosto de 2008 para o jornal econômico Gazeta Mercantil.

2 comentários

  • Acredito que o maior problema do seguro viagem seja divulgação, é um produto proporcionalmente muito barato, e oferece bastante proteção, as seguradoras poderiam (e talvez , devessem) criar campanhas de divulgação do seguro viagem…
    Realmente, esse poderia ser um item obrigatório na mala de todos!!!
    Abraço, bom artigo, parabéns!

Deixar um comentário