estudos mercado

Estudo de Harvard patrocinado pela XL Catlin traz novos insights sobre como fazer a transformação digital funcionar

Denise Bueno
Escrito por Denise Bueno

Fonte: XL

De acordo com o estudo Operacionalização da Transformação Digital: Novos Insights para Fazer a Transformação Digital Funcionar, desenvolvido pelo Harvard Business Review Analytics Services (HBR-AS) e patrocinado pela XL Catlin, 43% das empresas pesquisadas estão conseguindo resultados positivos de seus investimentos em transformação digital, especialmente aquelas que usam a tecnologia digital em todos os níveis das operações, desde as cadeias de suprimentos e redes de distribuição até as atividades de Compliance e Analytics. Esses líderes da transformação digital, no entanto, contrastam fortemente com muitas outras organizações para as quais a transformação digital ainda é um desafio.

O relatório fornece informações sobre o estado da transformação digital em todo o mundo, mostrando o que diferencia os líderes da transformação digital e analisando os novos riscos que essas empresas enfrentam, incluindo aqueles associados a novas tecnologias e o risco de interrupção por concorrentes que estão mais adiantados na curva digital.

As principais conclusões incluem:

• Enquanto uma minoria de empresas – 43% – estão conseguindo resultados positivos de seus investimentos em transformação digital (líderes), eles contrastam fortemente com aqueles que alcançam apenas benefícios modestos (seguidores) ou insignificantes (retardatários).
• Os líderes superam consideravelmente os outros dois grupos no desempenho de negócio, com 73% relatando maiores receitas, contra 20% dos seguidores e 12% dos retardatários.
• Entre os líderes da Transformação Digital, 68% relatam melhoras na rentabilidade, contra 25% dos seguidores e 14% dos retardatários.
• Quase 40% dos entrevistados dizem que seu negócio principal está em risco de interrupção digital de outras empresas que podem estar mais avançadas no caminho da digitalização ou serem mais rápidas na reação.
• Quase 50% dizem que estarão, pelo menos, atrasados ​​em relação a seus concorrentes se eles não conseguirem fazer um melhor trabalho de interconexão digital das várias partes de seus negócios.
• Mais de 80% das empresas dizem que o maior risco associado à digitalização é não abraçar esta mudança.
• Os sistemas legados, operações fragmentadas / sistemas de informação e restrições orçamentárias são os três principais desafios que as organizações enfrentam ao alavancar recursos digitais para melhorar as operações.

Greg Hendrick, Presidente de Property & Casualty da XL Catlin comentou: “Como re / seguradora, é imperativo que entendamos como o uso das tecnologias digitais está transformando a forma pela qual nossos clientes em todas as áreas funcionam e os riscos que enfrentam. Estudos como este nos ajudarão a obter informações e olhar para a frente, para que possamos ajudar nossos clientes a enfrentar esses riscos para alcançar todos os benefícios da transformação digital ao longo de toda a operação”.

Alex Clemente, diretor-gerente da HBR-AS, ​​observou: “De certa forma, é lógico que muitas organizações tenham começado sua transformação digital pelos pontos de atendimento ao cliente, sendo impulsionados pela demanda do consumidor. No entanto, as organizações líderes sabem que as funções do back office (por exemplo, operações gerais, cadeia de suprimentos e distribuição) são igualmente fundamentais para a operação da transformação digital “.

O estudo HBR-AS pesquisou 335 entrevistados em uma grande variedade de setores em todo o mundo e o relatório inclui comentários de especialistas em transformação digital, bem como informações de outras pesquisas publicadas. Os entrevistados representam as regiões nas seguintes percentagens: América do Norte: 31%; Ásia-Pacífico: 27%; Europa: 23%; América do Sul: 9%; África 7%; e outras regiões 2%. Como resultado, o estudo oferece uma visão global do estado da transformação digital, que o setor de seguros e resseguros deve auxiliar na ampla gama de negócios que ele apoia.

Para ler o estudo completo em inglês visite http://xlcatlin.com/~/media/FFF/PDFs/HBR_XL Catlin Report_DigitalTransformation_2017.pdf

Sobre a Autora

Denise Bueno

Denise Bueno

Denise Bueno sempre atuou na área de jornalismo econômico. Desde agosto de 2008 atua como jornalista freelancer, escrevendo matérias sobre finanças para cadernos especiais produzidos pelo jornal Valor Econômico, bem como para revistas como Época, Veja, Você S/A, Valor Financeiro, Fiesp, ACSP, Revista de Seguros (CNSeg) entre outras publicações. É colunista da revista Apólice, especializada em seguros, e também do SindSeg-SP. Escreveu artigos diariamente sobre seguros, resseguros, previdência e capitalizacao entre 1992 até agosto de 2008 para o jornal econômico Gazeta Mercantil.

Deixar um comentário