mercado

Canal seguro: por que a boa-fé deve ser uma indispensável via de mão dupla na contratação de um seguro?

Fonte: CNseg

Na quarta edição do “Papo Seguro”, coluna do “CNseg – o canal seguro”, o presidente da CNseg, Marcio Serôa de Araujo Coriolano, abordará a questão da boa-fé no seguro, tema que norteia a relação entre seguradora e consumidor. “A boa-fé significa que a seguradora deve ser transparente e cumprir estritamente com a suas obrigações. Afinal, ela lida com a poupança e com bens muito preciosos, como a vida, a saúde e o patrimônio das pessoas e das empresas”, explica Coriolano.

A boa-fé na contratação de um seguro representa uma via de mão dupla. Cabe ao consumidor também oferecer informações consistentes e transparentes à seguradora. “Seguro não é, nem pode ser, um saco sem fundo. Qualquer desequilíbrio nessa relação entre a seguradora e o segurado pode comprometer os atributos de igualdade e solidariedade”, assinala o presidente da CNseg.

Coriolano alerta para a importância de o consumidor certificar-se, durante a contratação do seguro, sobre a regularização da seguradora, se ela existe e está devidamente autorizada pelos órgãos do governo para atuar no mercado: “No caso dos planos de saúde, vá ao site da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) e para os demais seguros, ao site da Susep (Superintendência de Seguros Privados).”

Indagar sempre, consultando amigos e o corretor sobre a história de boa-fé da seguradora, é condição primordial que antecede a contratação de um seguro. ”Agindo assim, você poderá usufruir plenamente os benefícios do seguro, evitando perder tempo com frustrações, reclamações e aborrecimentos. Todos agindo de boa-fé. A mutualidade em seguro agradece”, conclui Coriolano.

Também nesta segunda, na “Entrevista Especial”, o diretor de Gestão de Riscos da Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Vitor Osaki, fala sobre o seguro rural voltado para o Plano Safra 2017. De acordo com ele, o valor a ser destinado para o seguro rural depende da aprovação do orçamento do crédito rural, um dos itens que compõem o Plano Safra. Segundo Osaki, existe uma proposta de a iniciativa privada participar da subvenção ao prêmio, por meio de fabricantes de insumos agrícolas. Outra ideia é que o próprio governo amplie o Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural.

Na terça-feira, agricultura volta a ser tema da programação. No quadro “Qual é a Dúvida?”, o presidente da Comissão de Seguro Rural da FenSeg, Wady Cury, explica o que é subvenção agrícola.

Também na terça, o tema do programa “Conheça os Seguros Gerais” volta a ser garantia estendida, desta vez com o presidente da Comissão de Seguro de Garantia Estendida e Afinidades da FenSeg, Marco Garutti.

O quadro “Inovação e Sustentabilidade” desta quarta-feira traz entrevista com José Mello, membro da Comissão de Inovação e Sustentabilidade da CNseg, que fala sobre o uso de simuladores no cálculo do valor do seguro. No mesmo dia, vai ao ar o programa “Entenda o Seguro de Pessoas”.

Na quinta-feira, o “Momento Jurídico” traz a advogada especialista em direito do consumidor Angélica Carlini, que falará sobre venda casada. Também na quinta é a vez do quadro “Por Dentro da Saúde Suplementar”.

Encerrando a semana, o quadro “Dicas do Consultor” aborda a questão da inadimplência com Reinaldo Domingos, presidente da Abefin (Associação Brasileira dos Educadores Financeiros). Também na sexta-feira, vai ao ar o “Minuto da Capitalização”.

Diariamente, a Rádio CNseg traz ainda boletins de serviço, notícias do setor, da economia e da política do país, além da programação musical. A grade completa está disponível em http://radio.cnseg.org.br.

Sobre a Autora

Denise Bueno

Denise Bueno

Denise Bueno sempre atuou na área de jornalismo econômico. Desde agosto de 2008 atua como jornalista freelancer, escrevendo matérias sobre finanças para cadernos especiais produzidos pelo jornal Valor Econômico, bem como para revistas como Época, Veja, Você S/A, Valor Financeiro, Fiesp, ACSP, Revista de Seguros (CNSeg) entre outras publicações. É colunista da revista Apólice, especializada em seguros, e também do SindSeg-SP. Escreveu artigos diariamente sobre seguros, resseguros, previdência e capitalizacao entre 1992 até agosto de 2008 para o jornal econômico Gazeta Mercantil.

Deixar um comentário