mercado

Bradesco, SulAmérica e BB Mapfre lideram ranking de seguros

Denise Bueno
Escrito por Denise Bueno

Fonte: Sincor-SP

A liderança de vendas do mercado de seguros, sempre creditada ao seguro automóvel, passou a ser do ramo de saúde. Enquanto auto faturou R$ 32,6 bilhões em 2016, com queda de 2%, o setor de saúde marcou R$ 36 bilhões, com crescimento de 11%, mudando o perfil do mercado no Brasil. Os dados foram divulgados pelo Ranking das Seguradoras 2016, publicação anual do Sincor-SP (Sindicato dos Corretores de Seguros no Estado de São Paulo).

“Os números de 2016 atestam a capacidade de inovação e dinamismo do setor, aliada à nossa força de trabalho, tanto dos seguradores, quanto dos corretores, o que nos leva a acreditar em um 2017 melhor em resultados e evolução”, diz o presidente do Sincor-SP, Alexandre Camillo.

O estudo, produzido pelo economista da Rating de Seguros e assessor do Sincor-SP, Francisco Galiza, reúne dados oficiais da Susep (Superintendência de Seguros Privados) e da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar). “Em 2006, o ramo de automóvel detinha 30% do setor e hoje está com 25%. Enquanto que saúde passou de 21% para 27% nos últimos dez anos”, pontua o especialista.

O material revela a posição das companhias nos principais ramos de seguros, para orientar os corretores de seguros e o mercado sobre os caminhos do setor. No Ranking Geral, a liderança coube ao grupo Bradesco, com quase 25% do setor, seguido dos grupos SulAmérica e BB Mapfre.

No ramo Automóvel, o faturamento total (sem o DPVAT) foi de R$ 32,6 bilhões, com queda de 2% em relação ao mesmo período do ano anterior. No ramo Patrimonial, a receita total foi de quase R$ 13 bilhões, com alta de 3%.

O ramo Pessoas teve faturamento de R$ 34,2 bilhões, com variação positiva de 3%. Já no ramo Riscos Financeiros, a receita foi de R$ 3,1 bilhões, com variação de mais de 10%. Na seara de Transportes, a receita foi de R$ 3 bilhões, com alta de 6%.

Em Saúde, a receita foi de R$ 36 bilhões, com variação de, aproximadamente, 11%. Nos demais ramos, a receita do segmento foi de R$ 10,3 bilhões, com variação de 9% em relação a 2016.

No que diz respeito às companhias que lideram em cada ramo, o seguro automóvel é comandado pela Porto Seguro, que detém 28,72% dos produtos, com R$ 9,4 bilhões. Os seguros patrimoniais têm como primeira colocada a Zurich, com 16,55%, alcançando as cifras de R$ 2,1 bilhões.

Os seguros de pessoas são liderados pela Bradesco, que detém 22,92% dos produtos. Os seguros relacionados a riscos financeiros mantêm um equilíbrio no Ranking: JMalucelli, com 12,74%, seguido da Porto Seguro, com 11,04%, e do BB Mapfre, com 9,97%.

Chubb, Allianz e BB Mapfre são as seguradoras que lideram o ranking no ramo de transportes. Em saúde percebe-se uma grande concentração dos serviços administrados pela Bradesco, vindo logo a seguir a SulAmerica. A líder deste ramo sustenta uma participação de R$ 19 bilhões, detendo 52,86% do mercado.

Camillo, explica que o Ranking das Seguradoras é um tradicional estudo do Sincor-SP, divulgado anualmente. Para os interessados em acompanhar a situação econômica do setor, a entidade também apresenta números mensais. “Em paralelo, o Sindicato já vem estudando e apresentando alguns números de 2016 em outras publicações, como a mensal Carta de Conjuntura do Setor de Seguros”, lembra Camillo.

Sobre a Autora

Denise Bueno

Denise Bueno

Denise Bueno sempre atuou na área de jornalismo econômico. Desde agosto de 2008 atua como jornalista freelancer, escrevendo matérias sobre finanças para cadernos especiais produzidos pelo jornal Valor Econômico, bem como para revistas como Época, Veja, Você S/A, Valor Financeiro, Fiesp, ACSP, Revista de Seguros (CNSeg) entre outras publicações. É colunista da revista Apólice, especializada em seguros, e também do SindSeg-SP. Escreveu artigos diariamente sobre seguros, resseguros, previdência e capitalizacao entre 1992 até agosto de 2008 para o jornal econômico Gazeta Mercantil.

Deixar um comentário