corretora

Pulso Seguros nasce na era digital e quer conquistar consumidor com abordagem diferenciada

Denise Bueno
Escrito por Denise Bueno

Mais uma corretora para disputar os consumidores com bons serviços e produtos. Pelo menos essa é a obsessão de Elizabeth Rudge, corretora que atua há mais de duas décadas no mercado segurador. A Pulso Seguros nasce da carteira de seguros de varejo da TRR Securitas, dedicada a produtos empresariais, com modelo de negócio focado na gestão e na consultoria de riscos para uma carteira de clientes formada por empresas de grande e médio portes.

“Já faz tempo que os sócios examinam com atenção as novas tendências do varejo de seguros, as plataformas online, e a possibilidade de ganho de market share. Por ser um negócio totalmente diferente da TRR, precisa de uma gestão específica e traremos toda a experiência e conhecimento acumulado nas empresas para o sucesso da nova empreitada”, conta Beth, como é chamada por todos.

Beth, que dirigia a TRR Securitas, continua como sócia e membro do seu conselho de administração da TRR, que tem como acionista o grupo Estáter Gestão e Ativos. Segundo Beth, a segmentação, TRR Securitas e Pulso Seguros, se baseia na certeza de que são negócios bem diferentes para a prospecção e vendas, tecnologia e marketing mas podem compartilhar retaguarda administrativa, e somar experiências em benefício dos clientes.

Para os acionistas, o varejo de seguros, com produtos para pessoas físicas e pequenas empresas, é o segmento mais relevante do mercado, com maior potencial de crescimento e mais suscetível a mudanças e inovação. “O consumidor e as experiências de compra estão se transformando, criando oportunidades novas para o nosso setor”, ressalta a executiva.

No entanto, o mercado de seguros depende de renda e crescimento econômico como a maioria deles e por isso também sofre em momentos de crise. Analisando a relevância do mercado no PIB e a densidade de seguros per capita, as perspectivas de crescimento real são de mais de 50%. “O Brasil está em 48.o no ranking de seguros per capita e 39o. no ranking de seguros/PIB. Temos números superlativos em outros mercados e novas abordagens podem trazer dinamismo ao mercado de seguros”, aposta.

Enquanto a TRR atua em todos os segmentos empresariais, como seguros patrimoniais, linhas financeiras, produtos oferecidos como benefícios a empregados e produtos de afinidades, comercializados por grandes varejistas, a Pulso Seguros se dedicará a produtos e serviços para pessoa física e pequeno empresário. Já está disponível auto, bike, portáteis, residencial e viagem.

Também faz parte da carteira da corretora a oferta de seguro de carro pelo Submarino, pioneiro no comércio eletrônico no Brasil, com seis marcas de seguradoras disponíveis. Outras duas varejistas online deverão entrar para a lista de clientes da Pulso em breve, promete Beth. Ela conta que há grande procura pela compra de seguro de carro no portal de vendas Submarino, com clientes preenchendo o formulário do começo ao fim. Isso significa dizer que os internautas apostam em responder mais de 30 perguntas para comprar o seguro online. “Estamos testando o sistema e agora começaremos a divulgar mais o produto, que hoje praticamente não tem visibilidade no portal

“Nosso objetivo empoderar o cliente e colocá-lo no lugar de protagonismo também nessa hora, fazendo as escolhas importantes na sua vida. Contratar seguros não é simples como querem fazer parecer e vamos mostrar as diferenças dos produtos e das pessoas, valorizar as diferenças que transformam a decisão de compra em uma decisão personalizada”, ressalta a executiva, uma das responsáveis pelo lançamento de seguro para food trucks no mercado brasileiro. Antes dele, os empreendedores compravam um seguro para o carro, mas sem a proteção para todo o investimento feito para transformar o veículo em um mini restaurante.

Sobre a Autora

Denise Bueno

Denise Bueno

Denise Bueno sempre atuou na área de jornalismo econômico. Desde agosto de 2008 atua como jornalista freelancer, escrevendo matérias sobre finanças para cadernos especiais produzidos pelo jornal Valor Econômico, bem como para revistas como Época, Veja, Você S/A, Valor Financeiro, Fiesp, ACSP, Revista de Seguros (CNSeg) entre outras publicações. É colunista da revista Apólice, especializada em seguros, e também do SindSeg-SP. Escreveu artigos diariamente sobre seguros, resseguros, previdência e capitalizacao entre 1992 até agosto de 2008 para o jornal econômico Gazeta Mercantil.

Deixar um comentário