resseguro

Lloyd’s divulga lucro e abertura de escritório em Bruxelas por conta do Brexit

Denise Bueno
Escrito por Denise Bueno

O Lloyd’s of London, o mercado de seguros mais antigo do mundo, obteve lucro antes dos impostos de US$ 2,6 bilhões, registrou índice combinado de 97,9% e retorno sobre o capital de 8,1% em 2016. “As condições permanecem extremamente desafiadoras para o mercado com contínua pressão descendente nos preços enquanto capitais tradicionais e alternativos permanecem sendo atraídos para a indústria de seguros e resseguros”, afirmou a CEO Inga Beale em nota.

O nível de sinistros importantes do ano foi de US$ 2,8 bilhões e este foi o quinto maior desde 2000, com boa parte creditada as indenizações decorrentes do Furação Matthew e dos incêndios de Fort McMurray.

“Dadas às circunstâncias em que estamos operando, é vital que a Corporação do Lloyd’s faça tudo o que estiver ao seu alcance para apoiar o mercado e tornar a plataforma atraente, demonstrando, ao mesmo tempo, uma boa relação custo/benefício”, comentou na nota.

Segundo ela, o foco coletivo deve ser fornecer aos nossos clientes os produtos que eles querem, envolvendo inovação e modernização. “O mercado demonstrou quão bem reage a um ambiente de risco em rápida mutação com o aumento considerável de coberturas de riscos cibernéticos durante 2016, um exemplo perfeito. É crucial que, ao longo de 2017, nós continuemos demonstrando que o Lloyd’s é o lar da criatividade e especialização”.

O Brexit também fez parte do discurso de Inga. “Hoje nós também confirmamos que, seguindo a decisão do Reino Unido de deixar a União Europeia, o escritório de uma subsidiária do Lloyd’s será aberto em Bruxelas, com o propósito de estar pronto para subscrever negócios para a temporada de renovações de 1º de Janeiro de 2019”.

Enquanto o Lloyd’s permanecerá sediado em Londres, a nova empresa subscreverá riscos de todos os 27 Estados da União Europeia e três Estados da Área Econômica Europeia depois que o Reino Unido deixar a U.E., proporcionando aos clientes e parceiros acesso às soluções inovadoras do Mercado do Lloyd’s. “Isto irá assegurar que o mercado Lloyd’s poderá continuar a fazer negócios com a Europa ininterruptamente quando o Reino Unido deixar a U.E.”

O Lloyd’s continua sendo classificado como A (excelente) pela A.M. Best, AA- (muito forte) pela Fitch e A+ (forte) pela Standard & Poor’s.

Sobre a Autora

Denise Bueno

Denise Bueno

Denise Bueno sempre atuou na área de jornalismo econômico. Desde agosto de 2008 atua como jornalista freelancer, escrevendo matérias sobre finanças para cadernos especiais produzidos pelo jornal Valor Econômico, bem como para revistas como Época, Veja, Você S/A, Valor Financeiro, Fiesp, ACSP, Revista de Seguros (CNSeg) entre outras publicações. É colunista da revista Apólice, especializada em seguros, e também do SindSeg-SP. Escreveu artigos diariamente sobre seguros, resseguros, previdência e capitalizacao entre 1992 até agosto de 2008 para o jornal econômico Gazeta Mercantil.

Deixar um comentário