Quem é quem

Quem é quem – Marco Barros, presidente da Fenacap

Denise Bueno
Escrito por Denise Bueno

Marco Antonio da Silva Barros foi reeleito em 7 de dezembro de 2015 para um terceiro mandato à frente da Federação Nacional de Capitalização (FenaCap),também vice-presidente da CNSeg, diretor Geral Executivo da Fenaseg e membro suplente do Conselho de Administração da Brasilcap Capitalização.

Carioca, Marco Barros é funcionário de carreira do Banco do Brasil onde ingressou em 1982. É graduado em Economia pela Faculdade São Luís de São Paulo, com mestrado em Economia pelo Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (IBMEC SP). Ao longo de sua trajetória profissional, exerceu cargos em diversas áreas da instituição, até assumir a Superintendência Comercial da Brasilprev Seguros e Previdência S.A., onde atuou entre 2000 e 2008, assumindo, na sequência, até 2009, a função de Diretor Comercial da empresa.

Foi também Presidente dos Conselhos da BB Seguridade, da BB Previdência e da Brasilsaúde Companhia de Seguros. Participou ainda como membro do Conselho de Administração das Empresas: Cia de Seguros Aliança do Brasil, Brasilveículos Companhia de Seguros, Mapfre Nossa Caixa Vida e Previdência e Brasilprev Seguros e Previdência.

Está à frente de vários projetos inovadores do setor, sendo os principais uma nova regulamentação para os títulos de capitalização. “O mercado vem inovando e hoje oferece um conjunto de soluções de negócios com sorteios que atende a necessidades de várias camadas da população, independentemente de renda, escolaridade ou comportamento de consumo. Dos 17 milhões de clientes com títulos ativos, 1,1 milhão são pessoas jurídicas”, ressalta Barros. Segundo ele, haverá também um forte movimento para diversificar canais de distribuição, de forma a facilitar o acesso dos consumidores aos produtos por meio de múltiplas plataformas de relacionamento, notadamente nos canais eletrônicos.

Também está à frente da MAR, uma incubadora de startups lançada pela CNseg em agosto de 2016, em parceria com a aceleradora Darwin Starter, de Santa Catarina. “O objetivo é entender como as novas tecnologias vão transformar o mercado segurador e como as startups podem aproximar consumidores e distribuidores”, explica Barros. Nesse primeiro ciclo o investimento será de R$ 70 mil cada uma das até sete selecionadas, pelo período de seis meses, limitados a R$ 500 mil nesta primeira chamada. Ele conta que a missão da MAR é diferente de um fundo de private equity que investe para ganhar dinheiro. “Na MAR (iniciais do presidente falecido da CNseg e Bradesco Seguros, Marco Antonio Rossi) o foco é ajudar a empreender e transformar uma ideia em um negócio de sucesso. Outros R$ 500 mil serão aportados numa segunda chamada de startups no início de 2017.

Sobre a Autora

Denise Bueno

Denise Bueno

Denise Bueno sempre atuou na área de jornalismo econômico. Desde agosto de 2008 atua como jornalista freelancer, escrevendo matérias sobre finanças para cadernos especiais produzidos pelo jornal Valor Econômico, bem como para revistas como Época, Veja, Você S/A, Valor Financeiro, Fiesp, ACSP, Revista de Seguros (CNSeg) entre outras publicações. É colunista da revista Apólice, especializada em seguros, e também do SindSeg-SP. Escreveu artigos diariamente sobre seguros, resseguros, previdência e capitalizacao entre 1992 até agosto de 2008 para o jornal econômico Gazeta Mercantil.

Deixar um comentário