capitalização

Capitalização encerra 2015 com R$ 21,5 bi, queda de 1,6%

RESERVAS DA CAPITALIZAÇÃO CRESCEM 3,7% EM 2015

No período foram distribuídos mais de R$ 1 bilhão em prêmios

Rio, 11/02/2015 – A FenaCap (Federação Nacional de Capitalização) divulgou o balanço das atividades do segmento no ano de 2015. O volume das reservas técnicas, montante relativo aos depósitos efetuados em títulos de capitalização e que retornam aos clientes sob forma de resgates ao fim dos planos, registrou um crescimento de 3,7%, em relação ao ano de 2014, atingindo a marca de R$ 31,058 bilhões.

Os títulos de capitalização da modalidade Incentivo, voltados para pessoas jurídicas, e os títulos para garantia locatícia têm contribuído para a consolidação dos produtos de capitalização como solução de negócios com sorteios – diz Marco Antonio Barros, presidente da FenaCap. Os títulos da modalidade Incentivo, que já representam 5% no faturamento global do setor, permitem a realização de ações promocionais de vendas ou de fidelização de clientes. “A versatilidade do produto permite sua vinculação a qualquer outro produto de empresas, independentemente de porte ou segmento”, completa Barros. As soluções para garantia locatícia, por sua vez, tiveram um crescimento superior a 6,46% . “O interesse é cada vez maior, pois o produto substitui o fiador nas transações de aluguel residencial e comercial.

Ainda de acordo com o balanço, o setor distribuiu em sorteios um total de R$ R$ 1,061 bilhão aos portadores de títulos em 2015, o equivalente a R$ 4,2 milhões por dia útil em premiações pagas. Outros R$ 17,349 bilhões retornaram à sociedade sob a forma de resgates totais ou parciais.

A instabilidade econômica acabou gerando um novo comportamento nas famílias brasileiras. Agora, o objetivo dos clientes de capitalização é constituir uma reserva financeira para depois utilizar esse montante da melhor forma, assinala o presidente da FenaCap.

Em 2015, a FenaCap em parceria com o Instituto Overview, realizou uma pesquisa qualitativa que mostrou, entre outros resultados, que o principal sonho dos entrevistados, segundo a pesquisa, continua sendo o de comprar a casa própria. A surpresa ficou por conta do segundo lugar na lista dos desejos: o custeio do estudos desbancou a compra do carro, que sempre foi imbatível nessa posição.

O faturamento do setor no ano de 2015 atingiu R$ 21,510 bilhões. “Em função do desempenho da economia no ano de 2015 a receita do segmento ficou dentro do esperado, apresentando um pequeno recuo (-1,65%).

A região Nordeste liderou o ranking de premiações em 2015. Ao todo os clientes contemplados de Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe dividiram cerca de R$ 125 milhões em prêmios, registrando um crescimento de 20,42% no montante das premiações para a região.

Sobre a Autora

Denise Bueno

Denise Bueno

Denise Bueno sempre atuou na área de jornalismo econômico. Desde agosto de 2008 atua como jornalista freelancer, escrevendo matérias sobre finanças para cadernos especiais produzidos pelo jornal Valor Econômico, bem como para revistas como Época, Veja, Você S/A, Valor Financeiro, Fiesp, ACSP, Revista de Seguros (CNSeg) entre outras publicações. É colunista da revista Apólice, especializada em seguros, e também do SindSeg-SP. Escreveu artigos diariamente sobre seguros, resseguros, previdência e capitalizacao entre 1992 até agosto de 2008 para o jornal econômico Gazeta Mercantil.

Deixar um comentário