capitalização

Capitalização acumula reservas de R$ 30,7 bilhões até setembro

Release

De acordo com os dados divulgados pela Federação Nacional de Capitalização – FenaCap, o segmento distribuiu, até o mês de setembro, R$ 761 milhões em prêmios a clientes contemplados. O valor corresponde ao pagamento de R$ 4 milhões em prêmios por dia útil do período. A região Sudeste foi a que teve mais sorteados na Capitalização no período de janeiro a setembro de 2015. Dos de R$ 761,2 milhões pagos a clientes contemplados, os estados de São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo e Rio de Janeiro, juntos, responderam por R$ 356,3 milhões, 46,8% do total. Também ficou em destaque o Rio Grande do Sul, que distribuiu R$ 138 milhões em prêmios, ficando atrás apenas de São Paulo.

Já as reservas técnicas, montante dos depósitos efetuados por clientes de títulos de capitalização e que são devolvidos sob forma de resgates ao fim dos planos, tiveram crescimento de 6,3%, em comparação a igual período de 2014, chegando a R$ 30,7 bilhões. Esse desempenho sugere que as pessoas estão permanecendo por mais tempo com seus planos, o que vai ao encontro dos resultados apontados pela pesquisa qualitativa realizada pela FenaCap em parceria com o Instituto Overview, no primeiro semestre do ano. “O levantamento apontou que os clientes enxergam o prazo de carência e o ‘pênalti’ para quem saca antes do prazo final, previstos na maior parte das modalidades de títulos de capitalização, como benefícios, porque contribuem para desenvolver o hábito de guardar dinheiro, desestimulando os resgates antecipados”, avalia Marco Barros, presidente da FenaCap.

Outros resultados da pesquisa indicaram, ainda, que a Caderneta de Poupança e os Títulos de Capitalização são os instrumentos mais conhecidos e considerados pelo universo consultado – integrantes das classes B, C e D, na hora de escolher uma solução financeira. O principal sonho dos entrevistados, segundo a pesquisa, continua sendo o de comprar a casa própria. A surpresa ficou por conta do segundo lugar na lista dos desejos: o custeio do estudos desbancou a compra do carro, que sempre foi imbatível nessa posição. “Os resultados evidenciaram, mais uma vez, a simpatia do brasileiro pelos sorteios. A possibilidade de ser premiado e subir de patamar na escala social, antecipando a realização de sonhos é vista como um incentivo adicional para manter o dinheiro guardado até o fim do plano”, observa Marco Barros. A total do faturamento das 17 sociedades de Capitalização que operam no país, de janeiro a setembro, alcançou R$ 15 bilhões.

Sobre a Autora

Denise Bueno

Denise Bueno

Denise Bueno sempre atuou na área de jornalismo econômico. Desde agosto de 2008 atua como jornalista freelancer, escrevendo matérias sobre finanças para cadernos especiais produzidos pelo jornal Valor Econômico, bem como para revistas como Época, Veja, Você S/A, Valor Financeiro, Fiesp, ACSP, Revista de Seguros (CNSeg) entre outras publicações. É colunista da revista Apólice, especializada em seguros, e também do SindSeg-SP. Escreveu artigos diariamente sobre seguros, resseguros, previdência e capitalizacao entre 1992 até agosto de 2008 para o jornal econômico Gazeta Mercantil.

Deixar um comentário