Uncategorized

Swiss Re dobra lucro no terceiro trimestre

stefan-lippeA Swiss Re obteve lucro líquido de US$ 618 milhões no terceiro trimestre deste ano, quase o dobro do resultado de US$ 314 milhões do mesmo período do ano passado. Um destaque do balanço da segunda maior resseguradora do mundo é o pagamento do empréstimo feito no auge da crise financeira de 2008. “Temos a satisfação de informar que a melhora na nossa posição de capital nos permitiu chegar a um acordo para reembolsar a Berkshire Hathaway sem ônus adicional por adiantar a data de pagamento”, comentou Stefan Lippe (foto), CEO da Swiss Re, em nota.

Segundo o comunicado, a Swiss Re irá contabilizar os encargos de juros e 20% de prêmio no quarto trimestre, ajustados ao câmbio. A variação nos lucros deverá ser de aproximadamente US$ 1 bilhão antes de impostos. Mesmo após efetuar o pagamento da liquidação, a Swiss Re ainda apresentará um excedente de capital significativo acima do nível ‘AA’.

O patrimônio líquido aumentou em US$ 2,4 bilhões para US$ 29,9 bilhões no terceiro trimestre de 2010. O retorno sobre o patrimônio para o terceiro trimestre foi de 9,5%, frente a 6,1% no período correspondente do ano anterior. O valor patrimonial por ação ordinária foi de US$ 79,65 no final de setembro de 2010, frente a US$ 72,51 no final de junho de 2010.

Os ramos elementares apresentaram uma receita operacional excelente de US$ 1,1 bilhão no terceiro trimestre de 2010, comparado a US$ 900 milhões no terceiro trimestre de 2009. O índice combinado melhorou de 84,5% no período correspondente do ano passado para 76,4, apesar do terremoto na Nova Zelândia, que teve um impacto de US$ 160 milhões na receita operacional. O índice combinado para os primeiros nove meses de 2010 foi de 95,6%. O resultado do terceiro trimestre de 2010 beneficiou-se de incidências de catástrofes naturais abaixo da média, da continuidade do enfoque de subscrição disciplinado e uma inteligente gestão dos cliclos do negocio e do desenvolvimento positivo do ano anterior.

O ramo de Vida e Saúde apresentou uma receita operacional de US$ 119 milhões no terceiro trimestre de 2010, frente aos US$ 363 milhões no período correspondente do ano passado. A taxa de lucro aumentou para 93,3% no terceiro trimestre de 2010, frente aos 81,1% no mesmo trimestre de 2009. A variação deveu-se principalmente à ausência de ganho reconhecido no resultado do ano anterior, juntamente com o impacto de certas comutações.

A gestão de ativos contribuiu novamente com uma receita operacional vigorosa de US$ 1,2 bilhão para o terceiro trimestre de 2010, frente a US$ 697 milhões no terceiro trimestre de 2009. O retorno sobre o investimento anualizado foi de 2,8% no terceiro trimestre de 2010, frente a 1,6% no período correspondente do ano anterior.

Segundo a nota, isso ocorreu basicamente devido ao menor impacto de hedges e prejuízos, mas foi neutralizado em parte pelo impacto dos movimentos cambiais. O retorno sobre o investimento total anualizado foi de 10,6% no terceiro trimestre de 2010, frente a 14,3% no período correspondente do ano passado.

“Em vista do desafio representado pelo ambiente de taxas de juros baixas, a Swiss Re irá continuar a concentrar-se na subscrição de negócios lucrativos enquanto explora novas fontes de renda através de sua capacidade de inovação. A carteira de (res)seguro da empresa está bem posicionada”, afirma o comunicado. Stefan Lippe resume: “No início de 2009, estabelecemos uma série de compromissos visando recobrar a confiança na Swiss Re. Cumprimos nossas promessas e conseguimos reverter o desempenho da empresa. Agora estamos firmemente voltados para o futuro, implementando nossa estratégia e alavancando nossas principais capacidades.”

Sobre a Autora

Denise Bueno

Denise Bueno

Denise Bueno sempre atuou na área de jornalismo econômico. Desde agosto de 2008 atua como jornalista freelancer, escrevendo matérias sobre finanças para cadernos especiais produzidos pelo jornal Valor Econômico, bem como para revistas como Época, Veja, Você S/A, Valor Financeiro, Fiesp, ACSP, Revista de Seguros (CNSeg) entre outras publicações. É colunista da revista Apólice, especializada em seguros, e também do SindSeg-SP. Escreveu artigos diariamente sobre seguros, resseguros, previdência e capitalizacao entre 1992 até agosto de 2008 para o jornal econômico Gazeta Mercantil.

Deixar um comentário