Uncategorized

Previdência aberta acumula R$ 201,8 bi até julho

42-24772500A previdência privada aberta fechou o mês de julho de 2010 com arrecadação de R$ 3,3 bilhões, apresentando crescimento de 7,6% na comparação com o mesmo mês do ano anterior, quando R$ 3,1 bilhões ingressaram no sistema. No mês de julho, o VGBL arrecadou R$ 2,6 bilhões, alta de 7,5% em relação a julho do ano passado, quando foram arrecadados R$ 2,4 bilhões.

Segundo a Fenaprevi (Federação Nacional de Previdência Privada e Vida), entidade que reúne 65 sociedades seguradoras e 15 entidades abertas de previdência complementar, o crescimento no volume de depósitos no VGBL deve-se à popularização do produto, que é indicado para o investidor que não declara imposto pelo modelo completo. O VGBL é um seguro de vida com caráter previdenciário por possuir cobertura por sobrevivência.

O PGBL – produto de previdência adequado para quem faz a declaração completa do Imposto de Renda e que permite deduzir até 12% do montante a ser pago à Receita Federal – por sua vez, cresceu 13,20% no período com arrecadação de R$ 442,8 milhões. Já os planos tradicionais fecharam julho com R$ 273,2 milhões com leve crescimento de 0,66%. Os outros produtos de previdência, como o FAPI, PGRP e VGRP arrecadaram R$ 1,1 milhão, com retração de 14,15%.

Os dados da Fenaprevi mostram que, em julho de 2010, os planos individuais cresceram 15,20% e atingiram arrecadação de R$ 2,8 bilhões contra R$ 2,4 bilhões registrados no mesmo período de 2009. Os planos corporativos, por sua vez, arrecadaram R$ 394,8 milhões em comparação aos R$ 386,8 milhões arrecadados no mesmo mês do ano passado, alta de 2,08%. Já os planos para menores responderam por R$ 113,2 milhões da arrecadação.

A Bradesco Vida e Previdência liderou o ranking de arrecadação em julho com 31,48% do total arrecadado, seguida pela Itaú Vida e Previdência (20,69%), BrasilPrev (18,94%), Santander Seguros (9,60%), Caixa Vida e Previdência (5,61%), HSBC Vida e Previdência (3,96%), Safra Vida e Previdência (3,64%), Icatu Seguros (1,18%), Sul América (1,15%), Metropolitan Life (0,66%). As demais seguradoras somam, no total, 3,09% da arrecadação.

As provisões — recursos acumulados pelos participantes do sistema de previdência complementar — somaram R$ 193,9 bilhões em julho de 2010, alta de 21,57% em relação a julho de 2009 quando as provisões totalizaram R$ 159,5 bilhões. As provisões dos planos VGBL, correspondendo a expectativa do mercado, tiveram o crescimento mais expressivo (30,22%), passando de R$ 83,8 bilhões em julho de 2009 para R$ 109,1 bilhão em julho de 2010.

As provisões de PGBL cresceram 18,41%, sendo que as provisões do produto passaram de R$ 43,7 bilhões em julho do ano passado para R$ 51,8 bilhões em julho deste ano. As provisões dos planos tradicionais passaram de R$ 31,4 bilhões em julho de 2009 para R$ 32,5 bilhões no mesmo mês em 2010 — alta de 3,29%.

Com relação a market share, os planos VGBL mantiveram a liderança no volume de depósitos no sistema de previdência complementar, com 56,26% do total, seguidos pelos PGBL, com 26,72% do volume total de provisões, enquanto os planos tradicionais contaram com 16,76% do volume total de provisões. Outros produtos – incluindo os Fapi — completam a equação, com 0,26%.

Em relação à carteira de investimentos — que corresponde aos ativos que garantem as provisões técnicas —– o mercado de previdência complementar cresceu 22,48%. Com isso, a carteira do setor somou R$ 201,8 bilhões no período.

O VGBL teve novamente o crescimento mais expressivo, com alta de 30,38% do total de recursos, passando de R$ 83,4 bilhões (julho/2009) para R$ 108,7 bilhões (julho/2010). O PGBL cresceu 18,64% no período. A carteira do produto passou de R$ 43,9 bilhões para R$ 52,1 bilhões. Já a carteira de planos tradicionais passou de R$ 36,9 bilhões para R$ 40,4 bilhões, o que representou um avanço de 9,43%.

No acumulado de janeiro a julho de 2010 os planos de previdência arrecadaram R$ 23,1 bilhões, crescimento de 16,46%. O crescimento foi puxado pelo VGBL que somou R$ 18,2 bilhões, alta de 19,38% frente ao acumulado de 2009. Os planos PGBL apresentaram alta de 14,32% no período com arrecadação de R$ 3 bilhões. Já os planos tradicionais registraram queda de 3,02% e arrecadaram R$ 1,929 bilhões em comparação aos R$ 1,989 bilhões no acumulado de 2009.

No resultado acumulado do ano os planos corporativos obtiveram o melhor desempenho com arrecadação de R$ 3 bilhões, um crescimento de 20,93%. Já os planos individuais somaram R$ 19,4 bilhões, alta de 20,91%. Os planos para menores, por sua vez, acumularam 776,3 milhões. Os dados da Fenaprevi informam que há 9,7 milhões de contratos de planos previdenciários. Atualmente, cerca de 96 mil pessoas são beneficiadas pelas coberturas de pecúlio, pensão e aposentadoria.

Sobre a Autora

Denise Bueno

Denise Bueno

Denise Bueno sempre atuou na área de jornalismo econômico. Desde agosto de 2008 atua como jornalista freelancer, escrevendo matérias sobre finanças para cadernos especiais produzidos pelo jornal Valor Econômico, bem como para revistas como Época, Veja, Você S/A, Valor Financeiro, Fiesp, ACSP, Revista de Seguros (CNSeg) entre outras publicações. É colunista da revista Apólice, especializada em seguros, e também do SindSeg-SP. Escreveu artigos diariamente sobre seguros, resseguros, previdência e capitalizacao entre 1992 até agosto de 2008 para o jornal econômico Gazeta Mercantil.

Deixar um comentário