Uncategorized

Swiss Re desenha resseguro para governos

12281077459apk8w1Assim como os gargalos da infraestrutura comprometem o crescimento do Brasil, encontrar capacidade suficiente para o seguro garantia tem atrapalhado a concretização de estruturas financeiras complexas que financiam os empreendimentos brasileiros. A parte a incansável discussão sobre a criação ou não da seguradora estatal, há produtos no mundo que podem contribuir para mitigar os riscos inerentes de megaempreendimentos que não começam sem antes ter um seguro. Assim como no Jurassic Park. Toda a trama do filme começa com o empreendedor do projeto levando seguradores para o parque e assim conseguir o seguro que daria o aval para a abertura do local.

Como no filme, muitos empreendimentos só saem do papel depois de uma apólice de seguro que garanta o retorno dos investimentos, aconteça o que for. Muitas vezes, usar um exemplo de referência e adaptá-lo as necessidades do cliente pode ser uma boa solução. Assim como a indústria de seguros tem tropicalizado váris produtos de seguros, o mesmo pode ser feito no resseguro.

Recentemente, a Swiss Re anunciou um tipo de resseguro que pode ser adaptado para as necessidades brasileiras e assim estimular mais o uso de produtos da indústria de seguros na estruturação dos grandes financiamentos para empreendimentos de infraestrutura no Brasil. Em julho, foi assinado um acordo histórico com o Alabama State Insurance Fund (“SIF”), proporcionando três anos de cobertura de seguro paramétrico para a exposição primária a catástrofes decorrentes de furacões. As soluções paramétricas indenizam o segurado com base nas características físicas do desastre. O pagamento pode ser utilizado para qualquer fim, incluindo custos de medidas emergenciais, reposição da perda de receita de impostos e financiamento para cobrir o aumento dos custos de seguro.

Segundo nota da Swiss Re, este acordo assinala a primeira vez que o governo de um estado norte-americano utiliza uma modalidade tão inovadora para transferir ao setor privado sua exposição financeira advinda de catástrofes naturais. É um passo crucial para enfrentar os custos potencialmente enormes associados a desastres da natureza.

“Temos o prazer de trabalhar com o Alabama State Insurance Fund, apoiando suas necessidades de gestão de riscos através deste programa pioneiro em sua modalidade”, comenta Raj Singh, membro do Comitê Executivo e Diretor Executivo de Riscos da Swiss Re, em nota. “Até agora, os governos – e por fim os contribuintes – acabavam tendo que arcar com a responsabilidade de pagar as despesas emergenciais e de reconstrução bem depois de ocorrido o desastre. Em outros países, a Swiss Re tem trabalhado com êxito junto às organizações governamentais para dar conta dessa exposição.

Segundo a resseguradora, essas soluções inovadoras são aplicáveis a estados de quaisquer dimensões e podem ser adotadas em estados dos EUA onde haja exposição econômica a catástrofes – como furacões, incêndios florestais, terremotos, entre outras.”

Ben Spillers, Gestor de Riscos do Departamento de Finanças do Alabama, informou na nota que a negociação representa um marco para o estado do Alabama em termos de identificação e gestão dos principais riscos. “Simplesmente com base na velocidade dos ventos de um furacão, podemos agora receber rapidamente fundos para cobrir nossos custos imediatos. Nossa responsabilidade pela proteção dos cidadãos do Alabama nos inspira a trabalhar com uma indústria líder como a Swiss Re, que tem uma considerável experiência de cooperação com entidades governamentais.”

A Swiss Re tem uma longa história de sucesso na oferta de soluções inovadoras e individualizadas para a transferência de riscos a governos, bancos de desenvolvimento internacionais e organizações não governamentais, tendo em vista auxiliá-los a enfrentar as consequências financeiras dos maiores eventos catastróficos.

Em 2009, a Swiss Re colaborou com o Ministério das Finanças do México e o Banco Mundial para desenvolver o programa MultiCat Mexico, oferecendo uma cobertura de US$ 290 milhões para terremotos e furacões. A cobertura de seguro proporciona ao México fundos emergenciais após um grande desastre, dando apoio ao governo para responder às necessidades pós-desastre dos cidadãos.

A Swiss Re é também a resseguradora líder da Caribbean Catastrophe Risk Insurance Facility (CCRIF), a primeira solução de seguro paramétrico que cobre vários governos regionais do Caribe. Testemunhando as capacidades das soluções paramétricas, a apólice de CCRIF para o Haiti foi acionada em seguida ao terremoto de janeiro de 2010, fornecendo ao governo haitiano os fundos emergenciais mais necessários logo após o desastre.

Com a conclusão da negociação do State Insurance Fund, o governo do Alabama comprovou que soluções semelhantes podem ser disponibilizadas para cobrir os riscos de desastres nos Estados Unidos assim como em outras regiões.

Sobre a Autora

Denise Bueno

Denise Bueno

Denise Bueno sempre atuou na área de jornalismo econômico. Desde agosto de 2008 atua como jornalista freelancer, escrevendo matérias sobre finanças para cadernos especiais produzidos pelo jornal Valor Econômico, bem como para revistas como Época, Veja, Você S/A, Valor Financeiro, Fiesp, ACSP, Revista de Seguros (CNSeg) entre outras publicações. É colunista da revista Apólice, especializada em seguros, e também do SindSeg-SP. Escreveu artigos diariamente sobre seguros, resseguros, previdência e capitalizacao entre 1992 até agosto de 2008 para o jornal econômico Gazeta Mercantil.

Deixar um comentário