Uncategorized

Lucro da SulAmérica avança 10,5% no trimestre

sulamericaA Sul América divulgou na quinta-feira lucro líquido de R$ 109,6 milhões no primeiro trimestre do ano, 10,5% acima do mesmo período do ano passado. A receita total de prêmios de seguros avançou 14,3%, para R$ 2 bilhões, excluída nessa comparação a consolidação da subsidiária Brasilveículos, vendida para o Banco do Brasil por R$ 340 milhões em negociação anunciada no início do mês.

A venda da operação, centrada em seguro de carro, fez com que a participação do seguro saúde no total da receita do grupo aumentasse para 64%. Há grande expectativa no setor sobre a venda da participação de pouco mais de 20% do ING no capital da SulAmérica. O banco ING comprometeu-se com o governo holandês, que emprestou recursos ao grupo no ápice da crise financeira, de se desfazer das operações de seguros até o final de 2012.

A rentabilidade do patrimônio anualizada atingiu 17% no trimestre, segundo nota divugada pela SulAmérica, e os ativos totalizaram R$ 11 bilhões. O resultado dos investimentos chegou a R$ 167 milhões no trimestre com rentabilidade equivalente a 132,8% do CDI.

A carteira de seguro saúde chegou a prêmios de R$ 1,3 bilhão, com alta de 19,4% no trimestre, com destaque para o segmento de seguro saúde grupal, cuja receita cresceu 19%. A carteira de seguro saúde para pequenas e médias empresas apresentou expansão de 33,1% entre os trimestres comparados, e no seguro odontológico alta de 61,3%.

No segmento de seguros de automóveis, a receita de prêmios aumentou 22,3% no primeiro trimestre, superando o crescimento de 17,9% registrado no mercado no mesmo período, segundo dados da Susep. De forma geral, o mercado de seguros de automóveis vem registrando crescimento expressivo, reflexo da reação positiva às medidas de incentivo adotadas pelo governo, com a venda de veículos novos expandindo a taxa de 17,9% no trimestre, de acordo com a Anfavea.

A seguradora destaca ainda o crescimento de 12,5% na carteira de seguros de pessoas, impulsionada pelos produtos de VGBL (Vida Gerador de Benefícios Livres), cujos prêmios aumentaram 35,6%. No primeiro trimestre, o índice de sinistralidade total da companhia foi de 71,8%, melhorando 1,7 ponto percentual em relação ao mesmo período de 2009, enquanto o índice combinado atingiu 98,5%.

Sobre a Autora

Denise Bueno

Denise Bueno

Denise Bueno sempre atuou na área de jornalismo econômico. Desde agosto de 2008 atua como jornalista freelancer, escrevendo matérias sobre finanças para cadernos especiais produzidos pelo jornal Valor Econômico, bem como para revistas como Época, Veja, Você S/A, Valor Financeiro, Fiesp, ACSP, Revista de Seguros (CNSeg) entre outras publicações. É colunista da revista Apólice, especializada em seguros, e também do SindSeg-SP. Escreveu artigos diariamente sobre seguros, resseguros, previdência e capitalizacao entre 1992 até agosto de 2008 para o jornal econômico Gazeta Mercantil.

Deixar um comentário