Uncategorized

Lucro da Mapfre recua 4,8% no trimestre

mapfreA Mapfre obteve no primeiro trimestre deste ano um lucro líquido de 273,1 milhões de euros, 4,8% menor em relação ao mesmo trimestre do ano anterior. Segundo comunicado do grupo, a queda se deve a não existência de resultados extraordinários obtidos em 2009 pela holding. O lucro líquido proveniente das operações de seguros cresceu 11,1%, apesar do efeito do terremoto do Chile, cujo impacto nas contas do grupo alcança 80,8 milhões de euros, e à elevada sinistralidade causada pelas tempestades na Espanha e nos Estados Unidos, eventos atribuidos as mudanças climáticas.

As receitas atingiram 5,8 billhões de euros, 8,9% acima do resultado do trimestre do ano anterior. Os prêmios de seguro e resseguro alcançaram 4,93 bilhões de euros, crescimento de 9,6%. A Mapfre América contalizou prêmios de 1,1 bilhão, evolução de 14%. O bom desempenho obtido na Mapfre America foi puxado pelo Brasil, que já representa 10% do grupo, e pela Colombia. Segundo informou o presidente mundial da Mapfre, Jose Martinez, aos acionistas, a expectativa do grupo é chegar a 20 bilhões em prêmios em 2010, o que representa crescimento de 6,4% sobre 2009.

Na Espanha, os prêmios totais de seguro e resseguro alcançaram 2,64 bilhões de euros, que representa um aumento de 9,8%, diante de uma redução de 3,75% do mercado.O negócio internacional, que representa 49,4% dos prêmios totais do Grupo, cresceu 10,7%, até alcançar os 2,57 bilhões de euros. Os prêmios da Mapfre Internacional (Estados Unidos, Portugal, Turquia e Filipinas) alcançaram 457,2 milhões de euros, com queda de 4,1% devido a uma taxa de cambio euro/dólar menos favorável que no mesmo trimestre do ano anterior. A resseguradora do grupo totalizou prèmios de 615,2 milhões de euros, evolução de 18,4%. As receitas do negócio de Assistência (prêmios e receitas por serviços) registraram um aumento de 8,4%, alcançando 142,3 milhões de euros.

Sobre a Autora

Denise Bueno

Denise Bueno

Denise Bueno sempre atuou na área de jornalismo econômico. Desde agosto de 2008 atua como jornalista freelancer, escrevendo matérias sobre finanças para cadernos especiais produzidos pelo jornal Valor Econômico, bem como para revistas como Época, Veja, Você S/A, Valor Financeiro, Fiesp, ACSP, Revista de Seguros (CNSeg) entre outras publicações. É colunista da revista Apólice, especializada em seguros, e também do SindSeg-SP. Escreveu artigos diariamente sobre seguros, resseguros, previdência e capitalizacao entre 1992 até agosto de 2008 para o jornal econômico Gazeta Mercantil.

Deixar um comentário