Uncategorized

Quem comandará a política do setor em 2010?

1173996187i0343l1As vezes nos deparamos com aquela pergunta que não quer calar. Quem será o presidente da CNSeg? João Elisio Ferraz de Campos deixará a presidência da Confederação Nacional das Seguradoras (CNSeg, ex-Fenaseg), depois de quase 17 anos a frente da principal instituição da indústria de seguros. Jorge Hilário, membro do conselho da SulAmérica, foi nomeado para assumir o comando da principal entidade do setor, responsável por centralizar as políticas e estratégias de uma indústria que movimenta R$ 100 bilhões em vendas e que prevê crescer a um ritmo de 20% nos próximos anos.

É certo que o advogado Hilário, afastado do dia a dia do mercado há anos, apenas guarda o lugar de quem assumir a presidência da SulAmérica. E quem será ele? Isto leva a uma outra pergunta: O que acontecerá com a SulAmérica? Seu sócio ING já anunciou que venderá todas as operações de seguros no mundo.

A centenária seguradora da família Larragoiti saiu da parceria que tinha com o Banco do Brasil, sendo substituída pela espanhola Mapfre Seguros. Aliás, este é o único entre os seis maiores grupos seguradores do Brasil que ficou de fora do centro do poder, que tem como sustentáculo as quatro federações.

Na terça-feira, as federações nomearam seus presidentes. Em uma eleição com chapa única, o presidente da Bradesco Seguros e Previdência, Marco Antonio Rossi, assumirá a presidência da Federação Nacional de Vida e Previdência (Fenaprevi), até então ocupada por Antonio Cássio dos Santos, presidente da Mapfre Seguros. Esta é a entidade mais abonada de todas, consolidando o segmento de vida e previdência privada, que representa mais de 40% de todo o setor.

Uma boa notícia para os jornalistas e também para o vice-presidente da Fenaprevi e da SulAmérica, Renato Russo, é que Osvaldo do Nascimento, do Itaú, volta a compor a diretoria da Fenaprevi. Osvaldo presidiu a Anapp (atual Fenaprevi) e tem sempre disponibilidade e notícias frescas para atender a imprensa. Em 2009, com o presidente da Mapfre envolvido em tantas negociações, toda a demanda da imprensa foi atendida por Russo, que merece um grande troféu da Fenaprevi.

Na Federação Nacional de Seguros Gerais (Fenseg), Jayme Brasil Garfinkel, principal controlador da Psiupar, a maior do setor em ramos elementares e controlada pela Porto Seguro e pelo Itaú, foi reeleito para o seu segundo mandato. Aqui temos outro segmento importante, com quase 40% de participação. A Fenseg também responde pelo resseguro e por assuntos que envolvem o tema mudanças climáticas.

A principal carteira é automóvel. Mas a expectativa com seguros financeiros é grande em razão dos seguros demandados pela realização dos dois mundiais esportivos, Copa e Olimpíadas, obras de infraestrutura e aquecimento do mercado acionário, com IPOs e emissões de papéis de empresas. Para se ter uma idéia, só com os leilões de energia a Allianz emitiu quase 70 apólices de seguro garantia e a JMalucelli outras 120.

Ricardo Flores, vice-presidente de crédito do Banco do Brasil e também da Brasilcap, permaneceu na presidência da Federação Nacional de Capitalização (Fenacap). Flores tem ocupações mais relevantes neste momento, uma vez que o crédito é a menina dos olhos do presidente Lula. Obviamente está na Fenacap apenas por uma questão estratégica, enquanto o BB finaliza a reengenharia financeira do grupo na área de seguridade.

O banco oficial já tem parceria com a Mapfre para ramos elementares e vida e aguarda o sinal verde do governo para aumentar a sua fatia no IRB Brasil Re. Também negocia a sociedade em de saúde na Brasilsaúde com a SulAmérica. Em previdência, já renovou por mais 23 anos com a americana Principal. Em capitalização, o BB detém a liderança do setor e também revê suas parcerias, devendo ficar na Fenacap a nova sócia.

Heráclito de Brito Gomes Junior, presidente da Bradesco Saúde, assume a presidência da Federação Nacional de Saúde Suplementar (Fenasaúde), cargo que vinha sendo exercido por Geraldo Rocha Mello, da Medial Saúde. Em razão da Medial ter sido adquirida recentemente pela empresa de medicina de grupo Amil, Heráclito é o único que já assume o comando neste ano. Os outros, a partir de fevereiro. Este é um segmento que promete muitas notícias de fusões e aquisições para o próximo ano.

Ou seja, muitas notícias vão rolar até lá, esquentando este período de fim e início de ano, que para o jornalista é sempre morno, o que o faz estar sempre ávido por boas pautas até o início da publicação do balanço financeiro de 2009.

Sobre a Autora

Denise Bueno

Denise Bueno

Denise Bueno sempre atuou na área de jornalismo econômico. Desde agosto de 2008 atua como jornalista freelancer, escrevendo matérias sobre finanças para cadernos especiais produzidos pelo jornal Valor Econômico, bem como para revistas como Época, Veja, Você S/A, Valor Financeiro, Fiesp, ACSP, Revista de Seguros (CNSeg) entre outras publicações. É colunista da revista Apólice, especializada em seguros, e também do SindSeg-SP. Escreveu artigos diariamente sobre seguros, resseguros, previdência e capitalizacao entre 1992 até agosto de 2008 para o jornal econômico Gazeta Mercantil.

Deixar um comentário