Uncategorized

Lucro das seguradoras cresce 12% até outubro

1240181636yx455i1As seguradoras brasileiras obtiveram lucro líquido de R$ 7,6 bilhões no período de janeiro a outubro deste ano, avanço de 12% comparado com o mesmo período do ano passado. Segundo estudo da consultoria Siscorp, o retorno sobre o patrimônio líquido do final de período se manteve em 18%. A previsão é de encerrar o ano em 15%.

A líder absoluta no quesito lucro é a Bradesco Seguros e Previdência, com R$ 2,5 bilhões até outubro, segundo revela o estudo que tem como base os dados enviados pelas seguradoras à Superintendência de Seguros Privados (Susep), informa Flávio Faggion (foto), proprietário da consultoria. Itaú Unibanco vem em segundo, com R$ 1,1 bilhão, Caixa Seguros com R$ 609 milhões e Banco do Brasil, com R$ 548 milhões. As seguradoras ligadas a bancos respondem por mais de 63% da lucratividade do setor.

Sem considerar saúde, as seguradoras registraram vendas de R$ 75 bilhões no acumulado do ano até outubro, evolução de 10%. O segmento de seguros gerais respondeu por R$ 27 bilhões; seguro de vida e acidentes por R$ 11,3 bilhões; previdência, incluindo VGBL, por R$ 29 bilhões; e capitalização por R$ 7,8 bilhões.

O maior produto em termos de arrecadação é o VGBL, com R$ 22,8 bilhões, crescimento de 23% em relação ao mesmo período do ano passado. Seguro de carro movimentou prêmios de R$ 14,1 bilhões, alta de 12%, sendo o segundo produto mais vendido pela indústria de seguros. Em terceiro vem o seguro de vida e acidentes pessoais, com R$ 11,3 bilhões em prêmios, evolução de 14%.

Segundo o estudo da Siscorp, entre as tendências de alta até o final do ano estão VGBL e riscos especiais. Automóveis, vida, rural, responsabilidades e habitacional manterão o crescimento estável. Nos demais produtos, a tendência revelada pela consultoria é de baixa.

Sobre a Autora

Denise Bueno

Denise Bueno

Denise Bueno sempre atuou na área de jornalismo econômico. Desde agosto de 2008 atua como jornalista freelancer, escrevendo matérias sobre finanças para cadernos especiais produzidos pelo jornal Valor Econômico, bem como para revistas como Época, Veja, Você S/A, Valor Financeiro, Fiesp, ACSP, Revista de Seguros (CNSeg) entre outras publicações. É colunista da revista Apólice, especializada em seguros, e também do SindSeg-SP. Escreveu artigos diariamente sobre seguros, resseguros, previdência e capitalizacao entre 1992 até agosto de 2008 para o jornal econômico Gazeta Mercantil.

Deixar um comentário