microsseguro seguros gerais

Microsseguro será o produto da década, diz FGV

1173996187i0343l11Com matérias nos principais jornais, a pesquisa da FGV diz que a melhora na distribuição de renda no país e a subsequente queda na desigualdade está contribuindo para a área de microsseguros ser o produto da próxima década, assim como o microcrédito tem sido para esta.

Segundo o economista-chefe do Centro, Marcelo Cortes Neri, “o microseguro guarda a promessa de ser na próxima década o que o microcrédito foi no mundo nas últimas duas décadas”. Atualmente, a faixa A e B (renda acima de R$ 4,8 mil) responde por 46% da demanda. As classes C (até R$ 4,8 mil), D (R$ 1,1 mil) e E (R$ 800), que representam 85% da população, contribuem com 15,6%, 4,1% e 1,4% do total de seguros no País, respectivamente. Em todas as classes, a maior preocupação é a saúde. Cerca de 16% da população brasileira já possui algum tipo de seguro – em sua maioria, seguro saúde (12,9%), seguido de seguro de vida (4,3%) e automóvel (2,9%).

No período entre 2003 e 2008, cerca de 27 milhões de pessoas, o equivalente a metade da população da França, saíram das classes D e E, e passaram a fazer parte das classes ABC, a chamada “nova classe média brasileira”.

Um mercado e tanto para os executivos de seguros conquistarem com produtos sustentáveis e evitar o desgaste de imagem que as seguradoras de saúde dos EUA enfrentam hoje, o que acaba atingindo a credibilidade do setor como um todo.

E parece que todos querem realmente conquistar este público. Veja as declarações dos principais executivos do mercado financeiro nas últimas semanas. Itaú Unibanco apostou no setor ao associar-se a Porto Seguro. Banco do Brasil prepara uma engenharia financeira para ser um dos maiores em poucos anos.

No Bradesco, o assunto é “eixo do negócio. “Acredito que o seguro será a indústria que mais vai crescer no século XXI. Podemos ver que é a única que pode quantificar, qualificar e proteger do risco. Assim, me coloco como parceiro e amigo do seguro nacional”. A afirmação é do presidente do Banco Bradesco, Luiz Carlos Trabuco Cappi, ao ser homenageado pelo Clube Vida em Grupo do Rio de Janeiro (CVG-RJ), durante a realização da 33ª edição de sua tradicional festa dos Destaques 2008-2009 no último dia 8.

Sobre a Autora

Denise Bueno

Denise Bueno

Denise Bueno sempre atuou na área de jornalismo econômico. Desde agosto de 2008 atua como jornalista freelancer, escrevendo matérias sobre finanças para cadernos especiais produzidos pelo jornal Valor Econômico, bem como para revistas como Época, Veja, Você S/A, Valor Financeiro, Fiesp, ACSP, Revista de Seguros (CNSeg) entre outras publicações. É colunista da revista Apólice, especializada em seguros, e também do SindSeg-SP. Escreveu artigos diariamente sobre seguros, resseguros, previdência e capitalizacao entre 1992 até agosto de 2008 para o jornal econômico Gazeta Mercantil.

1 comentário

Deixar um comentário