Uncategorized

Seguradora representa 11% do lucro do Itaú

images4As operações de seguros, previdência e capitalização do Itaú Unibanco geraram resultado de R$ 620 milhões para o banco no segundo trimestre do ano e de R$ 1,1 bilhão no acumulado do semestre. Em lucro líquido recorrente, a seguradora do maior banco do Brasil obteve R$ 292 milhões no segundo trimestre do ano, abaixo dos R$ 324 milhões do primeiro trimestre. Segundo nota do grupo, o lucro líquido na comparação dos trimestres foi menor em razão, principalmente, de no primeiro trimestre ter recebido dividendos do IRB Brasil Re, no qual mantém participação acionária, e pelo desempenho menos favorável dos fundos de investimentos.

O lucro representou 11% do ganho de R$ 2,5 bilhões do banco no segundo trimestre. Deste valor, a operação de previdência aberta tem o maior peso, com R$ 192 milhões, seguida por seguro, com R$ 61 milhões e capitalização, com R$ 37 milhões.

O faturamento cresceu em todas as atividades em razão da fusão entre Itaú e Unibanco, anunciada em novembro do ano passado. Em seguros, os prêmios passaram de R$ 1,1 bilhão para R$ 2,8 bilhões nos semestres comparados. Em previdência, as contribuições evoluíram de R$ 3,5 bilhões para R$ 4,7 bilhões. Capitalização apresentou receita de R$ 507 milhões para R$ 752 milhões. A maior carteira do grupo em seguros é vida e acidentes pessoais, com 29,5% dos prêmios ganhos. O seguro automóvel é o segundo maior, com 23,9%, seguido por garantia estendida, com 16%, outros com 14%, risco patrimonial com 11%, e transporte com 3,8%.

A despesa de comercialização, geralmente baixa em seguradoras ligadas a bancos, é um item que chama a atenção na Itaú Unibanco, por representar praticamente um terço dos prêmios ganhos, com R$ 424 milhões no segundo trimestre. Os sinistros retidos somaram R$ 710 milhões. O índice combinado, que indica a eficiência dos custos operacionais em relação ao prêmio ganho, ficou em 90,7%.

A consolidação da fusão entre Itaú e Unibanco na área de seguros está praticamente finalizada, com as operações consolidadas no prédio antes ocupado pelo Unibanco, na avenida Rebouças. Tanto as operações da Unibanco Seguros, que ficavam no prédio da avenida Eusébio Matoso (do outro lado do rio pinheiros) como os que estavam no centro de operações do Itaú no Jabaquara, estão mudando neste mês de agosto para o novo endereço.

A maior parte dos produtos já foi reformulada, com destaque para os seguros de acidentes pessoais. Um dos produtos que ainda está sem rumo definido é o seguro saúde, que era administrado pela Unibanco. Apesar de a carteira contar apenas com apólices grupais, o Itaú não tem apetite pelo setor, que foi o responsável por dar prejuízo ao banco anos atrás, com o Hospitaú, hoje administrado pela Omint.

Sobre a Autora

Denise Bueno

Denise Bueno

Denise Bueno sempre atuou na área de jornalismo econômico. Desde agosto de 2008 atua como jornalista freelancer, escrevendo matérias sobre finanças para cadernos especiais produzidos pelo jornal Valor Econômico, bem como para revistas como Época, Veja, Você S/A, Valor Financeiro, Fiesp, ACSP, Revista de Seguros (CNSeg) entre outras publicações. É colunista da revista Apólice, especializada em seguros, e também do SindSeg-SP. Escreveu artigos diariamente sobre seguros, resseguros, previdência e capitalizacao entre 1992 até agosto de 2008 para o jornal econômico Gazeta Mercantil.

Deixar um comentário